Cidadeverde.com
Geral

Igrejas serão reabertas dia 27 sem água benta e toques em santos; confira mudanças

Imprimir

 

Após mais de três meses de atividades suspensas, a Arquidiocese de Teresina confirmou para o próximo dia 27 de julho a retomada das celebrações presenciais nas igrejas católicas da capital. Os fiéis terão que obedecer a um protocolo que foi elaborado em conjunto pelas lideranças da igreja e membros Comitê de Operações Emergenciais (COE), que coordena os trabalhos de combate à Covid-19 no estado do Piauí.

Entre as proibições está o não uso de água benta, seja nas pias de batismo, em recipiente trazido de casa por fiéis e as gotículas jogadas durante a missa. Outra recomendação é não haver abraços e apertos de mão durante as celebrações. Para evitar a transmissão do novo coronavírus, o protocolo pede que os fiéis não toquem em imagens de santos. 

Veja todo o protocolo aqui

O documento com as recomendações, que foi enviado aos padres e diáconos da Arquidiocese,  estabelece que na primeira etapa da retomada os templos estão autorizados a receber lotação máxima de apenas 30% da capacidade total.  O protocolo também determina a obrigatoriedade da colocação de dispensadores de álcool em gel e a organização nos bancos e cadeiras, possibilitando o distanciamento de pelo menos dois metros entre os participantes da celebração.

A direção das igrejas também deverá estar preparada para orientar os fiéis sobre a importância da higienização, distanciamento e uso de máscaras durante as celebrações.

"Esse processo de reabertura tem que acontecer de forma gradual, responsável, serena, e sem atropelamento. Nos próximos dias vamos começar a orientar a comunidade sobre como vai acontecer, como as pessoas devem ser comportar. Vamos atuar com prudência, sempre respeitando as autoridades da saúde", explica o padre Tony Batista, Vigário Geral da Arquidiocese de Teresina.

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

 Durante a retomada das atividades, a Arquidiocese de Teresina vai acompanhar a aplicação das regras do protocolo, para permitir a ampliação do percentual de fiéis nas celebrações. "Começamos com 30 % até chegarmos a 100%, que eu creio que até o final do ano vai ser possível", avalia Tony Batista.

 As atividades presenciais, como missas e celebrações, estão suspensas desde o mês de março, por conta da pandemia da Covid-19. Durante o período, as atividades aconteceram apenas de forma virtual, através de transmissões pela internet, que devem continuar sendo realizadas durante o processo de retomada das atividades.

Confira algumas regras para retomada das atividades nas Igrejas: 

 Disponibilizar/visibilizar meios de alertas: banners, placas, marcadores ou adesivos alertando para o inimigo comum e invisível: o novo Coronavírus;

 A equipe da Pastoral do Acolhimento deve estar preparada para acolher e orientar os fiéis sobre a higienização, distanciamento e uso obrigatório e permanente de máscaras por todos os participantes das celebrações;

 Disponibilizar dispensadores de álcool gel 70% em todos os espaços possíveis da Igreja;

Fazer o distanciamento nos bancos e cadeiras de, no mínimo, 02 metros entre os participantes;

Todas as portas e janelas deverão permanecer abertas para garantir a circulação do ar no espaço;

Quando possível, deve-se celebrar ao ar livre;

É necessário isolar bebedouros de bico inclinado;

Não usar, em momento algum, recipientes com água benta;

Isolar com fitas as imagens expostas para que essas não sejam tocadas;

Orientar para que os fiéis se retirem do espaço da igreja mantendo o distanciamento necessário, evitando cruzamentos de pessoas, também no estacionamento;

 

 

 

Natanael Souza

[email protected] 

 

 

 

  • santuario_da_paz_-31.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-30.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-29.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-28.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-27.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-26.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-25.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-24.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-23.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-22.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-21.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-20.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-19.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-18.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-17.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-16.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-15.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-14.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-13.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-12.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-11.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-10.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-9.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-8.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-7.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-6.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-5.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-4.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-3.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_-2.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
  • santuario_da_paz_.jpg Roberta Aline / Cidade Verde
Imprimir