Cidadeverde.com
Esporte

Em negociação com Benfica, Jesus muda perfil pilhado e vê Flamengo ser questionado

Imprimir

Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

Jorge Jesus chegou como um furacão no Rio de Janeiro. Em pouco tempo transformou o Flamengo em uma máquina de vencer e mostrou toda sua personalidade agitada à beira do gramado. Porém, as coisas mudaram desde que recebeu uma proposta tentadora do Benfica, de Portugal.

Os gritos e gestos na beira do gramado deram lugar a um Jorge Jesus silencioso e observador. De longe, parece até outra pessoa. Contra o Fluminense, no domingo (12), ficou mais reservado durante os 90 minutos. Somente após a expulsão de Gabigol é que o português se mexeu e mostrou a faceta elétrica já tão conhecida entre os torcedores.

Coincidentemente, o Flamengo vem de dois jogos em que seu rendimento é bem abaixo do que está acostumado a mostrar. Vale ressaltar que Jorge Jesus sequer comentou sobre sua situação até o momento, o que aumenta o clima de tensão nos bastidores. Estariam os jogadores imunes a isso?

O fato é que o rendimento não foi o mesmo no período. Na final da Taça Rio, na última quarta-feira (8), o time teve atuação apática. Ficou preso à marcação do Fluminense, que levou a melhor nos pênaltis. O temido Flamengo de 2019 não deu as caras em nenhum momento.

A situação voltou a ocorrer no último domingo apesar da vitória. O Fluminense teve mais volume de jogo do que o adversário durante grande parte do jogo, mas foi castigado pela eficiência do Flamengo, que marcou com Pedro e Michael em dois contra-ataques.

A queda de rendimento foi tão clara que Jorge Jesus tentou dar uma chacoalhada no time entre os dois jogos. Para a partida de domingo ele promoveu quatro mudanças -apenas uma forçada por lesão: Bruno Henrique. Já Everton Ribeiro, Gerson e Leo Pereira foram barrados por Vitinho, Diego e Gustavo Henrique, respectivamente. As mexidas surpreenderam e até mesmo causaram críticas ao português.

A tentativa não deu certo como esperado e os barrados voltaram a campo para o segundo tempo -com exceção de Léo Pereira. A zaga, inclusive, falhou nos dois jogos e mostra ser o setor que precisa de maior atenção neste momento.

Apesar da queda de rendimento apresentada, o Flamengo chega à finalíssima com vantagem sobre o Fluminense. A vitória por 2 a 1 no domingo garante o título ao clube rubro-negro em caso de empate na próxima quarta (15). Gabigol, expulso, é desfalque. Bruno Henrique ainda tem chance, mas tenta se recuperar das dores na panturrilha.

BERNARDO GENTILE E CAIO BLOIS
RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) 

 

Imprimir