Cidadeverde.com
Últimas

Profissionais de saúde ganham rosas de paciente que venceu a Covid-19

Imprimir

Foto: divulgação FMS

Profissionais da Unidade Básica de Saúde Santa Maria da Codipi, na zona Norte de Teresina, foram surpreendidos com a entrega de buquês de rosas. O presente foi dado pela microempresária Helcia Teixeira, 37 anos, que esteve sob os cuidados da equipe durante o tratamento da Covid-19. 

"Tive a ideia de enviar flores depois de refletir sobre o que poderia ter acontecido com ela e a família se não tivesse procurado a unidade de saúde. Resolvi agradecer a equipe, pois eu sei que não é fácil lidar com pessoas. Tenho plano de saúde, mas não é a primeira vez que vejo que o atendimento na rede pública é melhor do que no privado”, conta a ex-paciente. 

Com febre e dor de garganta e cabeça, ela conta que, primeiramente, procurou um hospital privado em Teresina e após exames foi informada  mínima chance de ser Covid. Como os sintomas não passavam, Helcia decidiu procurar a UBS, que é uma das 26 unidades referência para síndromes gripais da rede municipal.

A coordenadora Darllyana Mendes relata que, ao chegar na UBS, a microempresária passou pelo procedimento padrão de acolhimento, triagem e consulta médica. Fez então o teste de antígeno – novo tipo que pode detectar o vírus ainda na fase inicial da doença – e o resultado foi positivo para o novo coronavírus. 

“Ela ficou muito abalada, mas procuramos conversar bastante com ela e orientar sobre os cuidados, além de prescrever todos os medicamentos necessários, que foram entregues no mesmo dia. Foi muito gratificante saber que, mesmo diante dessa pandemia, mesmo trabalhando de domingo a domingo, não esquecemos de sermos acima de tudo humanos e atender as pessoas com amor, respeito e atenção, pois quem nos procura está sim querendo um atendimento digno e humanitário”, diz a coordenadora.

A ex-paciente relembra a reação diante do diagnóstico. 

“Na hora que recebi o resultado do teste foi uma mistura de emoção, medo e gratidão a Deus. Tenho lúpus e moro com minha avó, uma idosa de 87 anos, e duas crianças. Só conseguia pensar neles, mas graças à equipe da UBS pude descobrir cedo e me cuidar”, relembra Helcia. 

Os familiares da microempresária seguem sendo acompanhados pelo serviço de teleconsulta da FMS.  

“A UBS nos liga todos os dias para saber como estamos e graças a Deus, que colocou pessoas de bom coração no nosso caminho, estamos nos recuperando bem”, disse a ex-paciente.

 

Da Redação
[email protected]

Imprimir