Cidadeverde.com
Entretenimento

Karen Junqueira relata ter sido estuprada aos 12 anos por pai de amiga

Imprimir

Foto: Reprodução/instagram/@karenjunqueira

Karen Junqueira falou sobre o estupro que sofreu do pai de uma amiga quando tinha 12 anos e morava em Caxambu, Minas Gerais, sua cidade-natal.

A atriz é conhecida principalmente por trabalhos na TV aberta como nas novelas Haja Coração, da Globo, e Os Mutantes, da Record TV. Um de seus primeiros trabalhos foi na temporada 2006 de Malhação.

Em relato à Claudia, Karen contou que o fato ocorreu no dia do aniversário de sua melhor amiga: "Estávamos juntas, lado a lado, dormindo na mesma cama. Foi quando meu sono foi interrompido pelo pai dela. Naquele instante, meu mundo parou".

A atriz lembra que não conseguiu abrir os olhos ou gritar: "Ele abaixou meu pijama e com seus dedos e língua começou a me tocar. Foram poucos minutos que se transformaram em uma eternidade".

"Eu me contorcia chorando e passei o resto da noite em claro, ainda estarrecida", continua. Ela também conta ter sentido uma "repulsa enorme" e se afastado da família, que era muito próxima à sua.

Karen Junqueira lembra que ficou mais de uma década em silêncio, e decidiu contar o episódio à sua mãe apenas após a morte de seu pai. Um dos questionamentos que ela teria feito foi: "Será que isso não foi um sonho, minha filha?"

"É claro que ela não queria acreditar como alguém tão 'legal e inofensivo' poderia fazer tal coisa. Não quero julgá-la. Ela é apenas mais uma vítima do machismo estrutural que impera na sociedade. A submissão sempre esteve encruada dentro da minha casa. Reservo à minha mãe sororidade", afirma.

"O abuso que sofri me gerou muitas questões emocionais. Desconfiança excessiva e insegurança foram algumas delas. [...] Poder falar abertamente sobre isso está sendo uma libertação para mim. Não tenho mais vergonha de me expor", relata, em outro momento.

Em seu Instagram, Karen Junqueira falou sobre sua intenção em relatar o abuso sexual: "Meu objetivo é encorajar, motivar a não se calarem. Denunciem! Quantas mulheres já conheceram com uma história parecida? Precisamos repensar as estruturas em que fomos criados".

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir