Cidadeverde.com
Esporte

Cruzeiro vence Caldense só por 1 a 0 e está fora das semifinais do Mineiro

Imprimir

O Cruzeiro precisava vencer por três gols de diferença na disputa direta com a Caldense por uma vaga nas semifinais do Campeonato Mineiro. Mas o sonho do tricampeonato acabou com a vitória por apenas 1 a 0, nesta quarta-feira à noite, no Estádio Ronaldão, em Poços de Caldas, pela 11ª rodada, a última da fase classificatória.

Esta é a primeira vez neste século que o Cruzeiro não chega às semifinais do Mineiro. Mais uma decepção de um dos maiores clubes brasileiros, que neste ano vai disputar pela primeira vez a Série B do Campeonato Brasileiro.

Os dois times terminaram com os mesmos 20 pontos. Porém, a Caldense leva vantagem no saldo de gols - 9 a 6 - e acabou confirmando a quarta vaga nas semifinais. Na sequência, enfrentará a Tombense, líder isolado, com 26 pontos. A outra semifinal terá América (25) e Atlético (22).

Ao Cruzeiro resta apenas a participação no Troféu Independência. Como quinto colocado, vai enfrentar o Patrocinense, que somou 12 pontos, em oitavo lugar e nesta noite foi goleado pelo Atlético por 4 a 0. No outro confronto se enfrentam Uberlândia e Boa, ambos com 14 pontos.

O técnico Enderson Moreira já tem seu primeiro desafio na direção do Cruzeiro ao precisar vencer bem fora de casa para seguir adiante na competição. Pode escalar dois jogadores importantes para reforçar o meio-campo: Maurício e Marcelo Moreno.

Nesta quarta, o Cruzeiro começou melhor, mais avançado e chegou ao gol aos 14 minutos. Após cruzamento vindo do lado direito, Régis recebeu de costas, mas virou rápido e bateu no canto esquerdo do goleiro Alyson. Na pressão, Maurício quase ampliou aos 20 minutos, mas chegou atrasado para concluir na frente do gol.

Até então tímida, a Caldense ameaçou somente em chutes de longa distância. Duas vezes, em chutes de André Mensalão e Lucas Mufalo, o experiente Fábio fez a defesa. Aos 38 minutos, o veterano Marcelo Moreno foi substituído por Thiago, deixando o campo reclamando do campo duro e de dores na região lombar.

Poucos instantes depois, aos 42 minutos, Régis quase ampliou. Ele invadiu a área, driblou o goleiro e perdeu o ângulo para chutar.

Mas a Caldense iniciou o segundo tempo no ataque e perdendo uma grande chance para empatar. João Victor carregou a bola, deu a pedalada na frente de um defensor e chutou à meia altura. O goleiro Fábio deu um leve tapinha na bola, que tocou na trave esquerda e saiu em escanteio.

Precisando de gols, o Cruzeiro até tentou ser mais agressivo, mas não mostrou intensidade. E, correndo contra o relógio, não teve a calma suficiente para chegar aos gols necessários e para conquistar a sua vaga.

Além disso, quase sofreu o empate aos 38 minutos, numa cabeçada de João Victor que exigiu um salto elástico de Fábio.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir