Cidadeverde.com
Política

Vereadora é suspeita de aplicar golpe em beneficiário do Auxílio Emergencial

Imprimir

Foto: Reprodução/ Facebook Patrícia Oliveira 

A vereadora Patrícia Oliveira (Progressistas), de Santa Rosa do Piauí, distante 280Km de Teresina,  foi denunciada ao Ministério Público Federal (MPF) por suspeita de ter aplicado um golpe contra um beneficiário do Auxílio Emergencial do Governo Federal no município. De acordo com a denúncia, a parlamentar teria se utilizado da confiança do beneficiário para se apropriar dos valores das parcelas recebidas. 

Na denúncia, a vítima, identificada como Gilberto Pereira de Sousa, de 53 anos,  explica que, no mês de abril,  pediu ajuda a parlamentar para ter acesso ao benefício,  concedido pelo Governo Federal para minimizar os impactos da pandemia do novo coronavírus. 

Após mais de três meses da solicitação, e sem receber nenhuma parcela do benefício, ele procurou ajuda no Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) de Santa Rosa do Piauí, no último dia 03 de agosto. Após uma consulta, os funcionários do local constataram que o benefício já havia sido aprovado e que os recursos já teriam sido creditados em sua conta virtual no aplicativo 'Caixa Tem'.

Em um questionário preenchido no CRAS, a vítima relatou ter feito a solicitação por meio da vereadora Patrícia, encaminhando a documentação necessária a um homem identificado apenas como “Toinho”. 

Na documentação apresentada na denúncia encaminhada ao MPF, foram anexadas cópias do extrato bancário que mostra o crédito do benefício e o uso dele.

Segundo a denúncia, ao fazer o cadastro para ter acesso ao benefício, a vereadora teria utilizado seu próprio e-mail  e o número de telefone de uma pessoa de sua confiança, para ter acesso à senha e fazer as movimentações sem autorização  e sem o conhecimento da vítima.

A primeira parcela, no valor de R$ 600,00 (seiscentos reais), teria sido creditada no 30 de abril de 2020 na conta virtual aberta pela vereadora Patrícia em nome da vítima. No dia 07 de maio de 2020 ela mesma  transferiu o dinheiro para sua conta corrente, conforme mostram extratos bancários anexados na denúncia. Os valores foram sacados, mas nunca foram repassados à vítima. 

Ainda de acordo com a denúncia, a vereadora teria pago, com a segunda parcela do benefício da vítima, três boletos, sendo um no valor de R$ 300,00 (trezentos reais), outro no valor de R$ 207,00 (duzentos e sete reais) e outro no valor de R$ 93,00 (noventa e três reais).

Foto: Reprodução/ Extrato Bancário

Já com a terceira parcela, que foi creditada em 01 de julho de 2020, a vereadora teria feito um pagamento do tipo débito no valor de R$ 600,00 (seiscentos reais).

Todas as transações teriam sido realizadas sem o consentimento da vítima.

A denúncia também foi encaminhada a Polícia Civil. 

Outro Lado

O Cidadeverde.com tentou contato com a vereadora Patrícia Oliveira, por telefone e por redes sociais, mas não obteve sucesso.

Um assessor da parlamentar, que não quer ser identificado, informou ao Cidadeverde.com que a vereadora "não tem nada a declarar neste momento" e que ela irá "se pronunciar", mas não disse quando seria. A reportagem solicitou o telefone do advogado de Patrícia, mas o assessor não quis repassar.

 

Natanael Souza
[email protected] 

 

Imprimir