Cidadeverde.com
Geral

Carmelo:15 das 17 freiras estão com Covid e madre destaca rapidez do vírus

Imprimir

Foto:reprodução

O coronavírus não respeitou nem a clausura das freiras do  Carmelo de Santa Teresa de Jesus e São João da Cruz, localizado no bairro Angelim, na zona Sul de Teresina.  Lá, 15 das 17 irmãs carmelitas estão com Covid-19. 

Apesar do número quase total de freiras infectadas com o novo coronavírus, a madre priora Maria Elisabete disse ao Cidadeverde.com que está enfrentando o "surto" com muita tranquilidade e "fé em Deus". Ela é uma das duas freiras que testaram negativo para a Covid-19 no Carmelo. 

A madre destaca a rapidez de como o vírus se alastrou no Carmelo. Uma das irmãs sentiu dores no corpo e um teste rápido de Covid-19 chegou a ser feito, mas deu negativo. Ela continuou em contato com as outras carmelitas e só descobriu no dia 24 de julho, após outro exame, que estava com coronavírus. No dia 25 as outras carmelitas foram testadas e o resultado foi positivo para 15 freiras. 

Das 15, duas carmelitas,de 42 e 62 anos de idade, tiveram de ser internadas e receberam alta hospitalar nesta segunda-feira (10). Elas, que possuem asma e hipertensão, não chegaram a ir para Unidade de Terapia Intensiva. 

"A primeira irmã começou a sentir dor nas pernas. O teste deu negativo e continuamos cuidando todo mundo junto. Aí foi rápido. Os sintomas estranhos tomaram conta  das irmãs.  Percebi que tinha algo estranho e  recorri ao padre Tony Batista[vigário geral da Arquidiocese de Teresina] e pedi teste para toda comunidade, que nos deu assistência muito rápida. O vírus agiu rápido, mas também tomamos providência rápido.", explica a madre priora do Carmelo. 

Das 15 freiras com Covid-19, três estão assintomáticas. As outras tiveram sintomas variados com falta de apetite, febre, perda de olfato, paladar e dor no corpo. "Todas estão evoluindo bem. Veja como Deus é providente: deixou duas para cuidar das outras", analisa a madre priora Maria Elisabete, que agradece a corrente de oração que tem sido feita em prol da saúde das carmelitas. 

A madre priora do Carmelo conta que  as irmãs estão recebendo assistência médica e até agora  não tem faltado nada, no que diz respeito à alimentação e higiene, para elas.  

A madre também conta que não sabe como o vírus chegou ao Carmelo já que, segundo ela, todos os protocolos de saúde são adotados e desde o início da pandemia as irmã estavam isoladas. No entanto, ela lembra que na rua onde o Carmelo é situado houve vários casos de coronavírus.  

O Angelim, segundo dados do Painel da Fundação Municipal de Saúde,  é o terceiro bairro de Teresina com mais casos confirmados de Covid-19.  

"Fizemos de tudo que estava ao nosso alcance. Tudo que vinha de fora era lavado, higienizado, usamos luvas, máscaras.  Acho que temos que aprender a conviver com esse problema. Temos que fazer nossa parte e não se apavorar. Deus está no comando. Ele é quem cuida", acrescentou a madre. 

 

Izabella Pimentel
[email protected]   

Imprimir