Cidadeverde.com
Esporte

Cruzeiro vence o Guarani de virada, ganha a segunda e zera pontuação na Série B

Imprimir

O Cruzeiro zerou a sua pontuação na Série B do Campeonato Brasileiro. Punido pela Fifa com a perda de seis pontos por causa de uma dívida, obteve a sua segunda vitória em duas rodadas ao derrotar o Guarani por 3 a 2, nesta terça-feira, no Brinco de Ouro.

Como o adversário também havia perdido na estreia, para o CSA, ambos os times estão zerados na classificação da Série B. Os clubes voltarão a campo no sábado, ambos fora de casa.

A equipe campineira terá pela frente o Botafogo-SP em Ribeirão Preto, enquanto a mineira visitará o Figueirense em Florianópolis.

Assim como na sua estreia, o Cruzeiro conquistou o triunfo com dificuldades, mas grande poder de reação. Se no sábado, diante do Botafogo, marcou o gol da vitória aos 42 minutos do segundo tempo, apenas dois após ceder a igualdade, dessa vez fez o primeiro e o terceiro gols também logo depois de ser vazado.

O JOGO - O início da partida no Brinco de Ouro foi eletrizante, com dois gols marcados em seis minutos. Quem largou na frente, aos 3, foi o Guarani, com Waguininho, que recebeu na ponta direita, cortou para o meio e cruzou da quina da área. 

A bola pegou uma curva, enganou Fábio e morreu no canto esquerdo da meta. Só que o Cruzeiro respondeu aos 6. No lance, Marcelo Moreno recebeu bom lançamento pela direita de Jadsom e cruzou rasteiro. Régis, então, apareceu entre três defensores e bateu no contrapé de Jefferson Paulino.

Depois da troca de gols, os times apresentaram suas intenções no jogo. E a do Cruzeiro foi mais bem sucedida. A equipe mineira se fechava bem na defesa e saía em rápidos contra-ataques. 

Foi assim que criou os lances mais perigosos, desperdiçando uma chance aos 22 minutos. Na jogada, Régis cobrou falta para a área, Giovanni escorou de cabeça para trás e, na linha da pequena área, Cacá, sozinho, isolou.

O gol não saiu nesse lance, mas veio pouco depois, após uma decisão polêmica do árbitro Ivan da Silva Guimarães Junior, que marcou pênalti de Pablo em Maurício, que recebeu uma carga, mas aparentemente não faltosa. Na cobrança, aos 29, Moreno converteu o pênalti, marcando pela primeira vez nessa sua terceira passagem pelo time.

Na etapa final, a marcação do Cruzeiro apresentou muitos problemas, especialmente em jogadas aéreas e de bola parada. Foi assim que o Guarani pressionou o adversário e criou várias chances. Bidu perdeu uma ótima oportunidade após erro de Giovanni e Fábio ainda fez uma difícil defesa em cobrança de falta de Lucas Crispim.

O Cruzeiro tinha dificuldades para reter a bola e contou com a falta de pontaria de Waguinho para não ser vazado aos 24. Só que aos 27 minutos não houve jeito. Bidu cobrou falta na primeira trave, Todinho desviou e Didi completa para as redes. A arbitragem não percebeu que o jogador do Guarani estava impedido e validou o gol.

Mas como quando foi vazado na etapa inicial, o time mineiro respondeu logo na sequência. E voltou a ficar em vantagem aos 29 minutos, quando Cáceres cobrou escanteio da direita, Jefferson Paulino saiu e Léo testou para o gol. Foi a 12ª vez na temporada em que o time campineiro foi vazado em jogadas aéreas - são 21 gols sofridos.

O restante do jogo foi de pressão do Guarani, que teve suas chances de empatar a partida. Só que o Cruzeiro conseguiu sustentar o placar de 3 a 2 para ganhar pela segunda vez na Série B.

Por Leandro Silveira
Estadão Conteúdo

Imprimir