Cidadeverde.com
Economia

IBGE: moradores de 316 mil domicílios no Piauí não viajaram por falta de dinheiro

Imprimir

Foto:Arquivo/Cidadeverde.com 

Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgados nesta quarta-feira (12) revelam que  moradores de 316 mil domicílios piauienses não viajaram por falta de dinheiro no terceiro trimestre de 2019, número que representa 46,6% das residências em que não houve viagens no Piauí.

De acordo com o módulo Turismo da PNAD Contínua, em 678 mil domicílios piauienses, não houve viagens. Isso equivale a 65,5% do total de residências do estado, percentual abaixo do verificado no Brasil, onde em 78,2% das residências não ocorreram viagens. 

No Piauí, em 25,6% dos lares em que não houve viagens (174 mil), o motivo apresentado é que não havia necessidade. Em 9,7% dessas residências (66 mil), os moradores informaram não ter tempo para viajar. Em 9,1% dos domicílios (62 mil), não havia interesse. Problemas de saúde foram os motivos de 3% dos domicílios (21 mil) e 1,9% (13 mil) disseram que não viajaram porque não era prioridade. Outros motivos foram relatados em 3,8% dos lares em que não ocorreram viagens (26 mil).

A pesquisa  traz dados sobre os fluxos de turistas nacionais entre as diferentes regiões do país e para o exterior. A pesquisa foi realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em convênio com o Ministério do Turismo (Mtur).

A pesquisa mostra, ainda, que no terceiro trimestre de 2019 pelo menos um morador viajou em 357 mil domicílios piauienses, totalizando 571 mil viagens realizadas. A maioria dos deslocamentos ocorreu dentro do território nacional (568 mil) e apenas 3 mil viagens foram internacionais. Cerca de 507 mil viagens ocorreram por razões pessoais (88,79%) e 64 mil com finalidade profissional (11,21%).  

Visita a parentes 

Das 507 mil viagens de finalidade pessoal realizadas pelos habitantes do Piauí, cerca de 141 mil deslocamentos foram para visitar parentes (27,8%). Cerca de 139 mil viagens ocorreram para tratamentos de saúde e bem-estar (27,4%), o que inclui serviços médicos, terapêuticos e estéticos. Juntos, os números equivalem a 55,2% dos deslocamentos com finalidade pessoal feitos por habitantes do Piauí.

O lazer motivou 76 mil viagens dos habitantes do Piauí (15%) e compras pessoais foram a razão para 62 mil (12,2%). Em 13 mil viagens, o deslocamento foi por motivo religioso (2,6%) e cerca de 7 mil viagens ocorreram para participar de eventos familiares ou de amigos (1,4%). Outros motivos foram informados para 69 mil viagens realizadas (13,6%).

Opções alternativas 

Opções alternativas de hospedagem, como resorts, imóveis alugados por temporada, albergue ou hostel e camping, foram a escolha em 48,2% das viagens realizadas por habitantes do Piauí. No Brasil, a hospedagem na casa de amigos ou parentes foi a mais utilizada, tendo sido relatada em 47,3% dos deslocamentos.  

Das viagens realizadas por pessoas que residem no Piauí, a hospedagem em casa de amigos ou parentes foi a opção em 40,4% dos casos. Pousadas foram escolhidas em 5,4% das viagens, hotéis ou flats foram a hospedagem em 4,5% dos deslocamentos e imóveis próprios foram usados em 1,2%.

No Brasil, as opções alternativas de hospedagem foram a escolha em 27,9% das viagens. Hotéis ou flats foram utilizados em 17,3% dos deslocamentos, pousadas foram a opção em aproximadamente 4,8% das viagens e imóveis próprios foram utilizados em 2,8%. 

Carro é o principal meio de transporte 

No Piauí, o principal meio de transporte utilizado para o deslocamento foi o carro particular ou de empresa, relatado em 30,3% das viagens. Em seguida, os ônibus de linha intermunicipais ou interestaduais foram usados em 25,2% e vans ou peruas em 15,4% das viagens.

 A motocicleta foi o meio de transporte em 11,7% das viagens e ônibus de excursão, fretados ou de turismo foram usados em 5%. O avião vem em último lugar, tendo sido usado em apenas 3,7% dos deslocamentos. Outros meios de transporte foram usados em 8,7% das situações. 

Moradores do Piauí preferem sol e praia

Cerca de 58,3% das viagens de lazer realizadas por habitantes do Piauí no 3º trimestre de 2019, tiveram como finalidade o turismo de sol e praia, que se caracteriza por viagens turísticas de entretenimento ou descanso em praias, onde haja a conjunção de sol, mar e calor. A tendência se repete no país, onde o lazer mais buscado também foi sol e praia, mas em menor proporção: foi o destino de 34,3% das viagens a lazer.

No Piauí, o segundo tipo de lazer mais procurado foi o cultural, finalidade de 14 mil viagens (18,6%). O lazer cultural é aquele em que há acesso ao patrimônio histórico e cultural, assim como a eventos culturais que valorizem e promovam os bens materiais e imateriais da cultura. Natureza, ecoturismo ou aventura foi o lazer escolhido em 12 mil viagens (16,1%). E, em 5 mil deslocamentos a lazer, foram buscadas outras opções (7%).

Piauí é o 12º estado do país que mais emite viajantes

O Piauí foi o ponto de partida de 2,8% dos viajantes do país no 3º trimestre de 2019, o que coloca o estado na 12ª posição como emissor de viajantes. A pesquisa considera tanto os deslocamentos interestaduais (entre estados diferentes) quanto os intra-estaduais (aqueles que tem origem e destino dentro do mesmo estado). Assim, a extensão territorial e o volume populacional influenciam no resultado. Mais de 50% dos deslocamentos realizados em todo o país foram intra-estaduais. Os estados que mais emitiram viajantes no país foram: São Paulo (20,4%), Minas Gerais (14,1%) e Bahia (7,7%).

Izabella Pimentel
Com informações do IBGE 

Imprimir