Cidadeverde.com
Últimas

Pedagoga é vítima de sequestro com o namorado no dia do próprio aniversário

Imprimir

Foto: Google Maps

Casal foi deixado nas imediações de uma lavanderia comunitária próxima à Ponte Estaiada

Uma pedagoga foi vítima de sequestro relâmpago com o namorado no dia do próprio aniversário, nessa sexta-feira (14). O casal estava na rua Anísio de Abreu, bairro Marquês, na zona Norte de Teresina quando foi abordado por dois criminosos a pé. 

Willana Denyle conta que o namorado, o estudante de Administração Danilo Freitas, foi o primeiro a ser abordado. Ele estava do lado de fora do carro tentando falar com o pai. O casal ficou cerca de 15 minutos com os assaltantes. 

"O Danilo havia ido pegar documentos e outros objetos na casa do pai para a gente passar o fim de semana juntos e estava ao telefone  quando  foi abordado e colocado no banco de trás com o bandido armado. Eu já estava no banco da frente e o outro bandido ficou ao volante. Do Marquês fomos deixados próximo a uma lavanderia comunitária no Morro do Urubu, perto da Ponte Estaiada", conta a pedagoga. 

Ela disse ao Cidadeverde.com que os criminosos aparentavam tranquilidade e não agiram com violência física ou verbal. Um dos momentos mais tensos para o casal foi quando os bandidos cogitaram levá-los para as 'paradas'. 

"Eles conversavam entre si perguntando o que iriam fazer com a gente, se deixavam a gente em algum lugar ou levava com eles. O da frente disse que era muito arriscado ficar conosco pois iam fazer mais duas paradas. Em nenhum momento foram agressivos, disseram que queriam os bens pessoais e  o carro para fazer assaltos. De certa forma, ficamos tranquilos", conta Denyle.

Do casal- que está junto há seis meses- foram levados celulares, cordões, pulseiras, relógios e o carro do estudante de Administração. O veículo, que tem placa de Piripiri-PI-,  pertence a Danilo e ainda não foi localizado. 

"Já comunicamos à Polinter e também a PM. Os policiais militares que nos socorreram ontem foram muito atenciosos, principalmente um chamado Valadares. Eles que nos levaram para a casa do meu pai e deram toda a assistência", disse o estudante. 

Informações sobre o carro roubado podem ser repassadas diretamente para o 190. 

Graciane Sousa
[email protected]

Imprimir