Cidadeverde.com
Últimas

UniFacid volta a atender população com serviços de saúde no CASI

Imprimir

Os atendimentos foram adaptados, segundo protocolo de segurança contra Covid-19

Os Centros de Aprendizagem e Serviços Integrados (CASI) do UniFacid retornaram com suas atividades de atendimento ao público e, respectivamente, com a volta dos estágios dos acadêmicos do Curso de Medicina do Centro Universitário. 

O atendimento é realizado pelo SUS (por meio de encaminhamento de consulta pela UBS) ou com taxa de consulta, de R$20,00 para Oftalmologia e R$5,00 para as demais especialidades. 

No CASI I, localizado na Av. Lindolfo Monteiro, 2372, bairro Horto Florestal, podem ser agendadas consultas para as seguintes especialidades: Reumatologia; Cardiologia; Endocrinologia; Geriatria; Ginecologia; Neurologia; Nutrição; Cirurgia Geral; Angiologia (Cirurgia Vascular); Pediatria (Geral, Gastroenterologia, Hematologia, Nefrologia, Reumatologia) e Urologia. 

No CASI II, localizado na Rua Vereador Joel Loureiro, 6918, Bairro Pedra Mole, as especialidades disponíveis para atendimento são: Proctologia; Nefrologia; Ginecologia e Pneumologia. 

Protocolo de Segurança contra Covid-19

Para o retorno das atividades junto ao público, o Centro Universitário montou toda uma infraestrutura de segurança, tanto para alunos e professores quanto para os pacientes.
 

De acordo com a Professora do curso de Medicina Naldiana Cerqueira, visando proporcionar mais segurança e evitar aglomerações, houve uma redução na quantidade de consultas marcadas com o objetivo de equilibrar o número de pessoas circulando no local e, assim, evitar aglomerações. O UniFacid também investiu na sinalização e higienização dos ambientes.

No novo protocolo de atendimento, por exemplo, ao invés de uma turma de alunos na sala, cada paciente fica apenas com dois alunos e um professor. 

"O retorno das atividades do CASI traz um impacto positivo para o setor de saúde da região, porque a população precisa desses serviços e é sempre bem assistida pelos nossos profissionais e acadêmicos", finaliza Cerqueira. 

Imprimir