Cidadeverde.com
Cidades

"Buraco azul" no Piauí é comparado a ponto turístico em Jericoacoara

Imprimir
  • 5727713e-2cdd-4c42-92a5-3c27dff7181b.jpg Buraco azul é propriedade privada e pertence ao empresário Sebastião Fontenele
    HELDER FONTENELE
  • 75d555e2-142b-417f-8cae-23d651935a3c.jpg Buraco azul é propriedade privada e pertence ao empresário Sebastião Fontenele
    HELDER FONTENELE
  • 05e4c2ad-7610-44d9-b84a-8cf9ef530e99.jpg Estrada de acesso a um dos 'buracos azuis' em Parnaíba
    HELDER FONTENELE
  • 3f442e69-ffdd-4853-8b71-37552a338dbf.jpg Buraco azul é propriedade privada e pertence ao empresário Sebastião Fontenele
    HELDER FONTENELE
  • 3c4da3ed-d8d7-4089-a04e-78993466489d.jpg Buraco azul é propriedade privada e pertence ao empresário Sebastião Fontenele
    HELDER FONTENELE
  • 03eb8557-f254-4c35-9538-9e77aa6e3469.jpg Buraco azul é propriedade privada e pertence ao empresário Sebastião Fontenele
    HELDER FONTENELE
  • 1ca323fe-785e-432d-a6ae-9429c7e9854d.jpg Buraco azul é propriedade privada e pertence ao empresário Sebastião Fontenele
    HELDER FONTENELE

Um local com água azul turquesa tem atraído turistas e não demorou muito a ser comparado a um dos cartões postais de Jericoacora: o buraco azul. Em Parnaíba, no litoral do Piauí, dois locais que funcionavam como pontos de extração de areia começaram a acumular água da chuva há pelo menos dois anos e têm servido como cenário para várias selfies de visitantes que escolhem o estado como rota do turismo. 

Os 'buracos azuis do Piauí' ficam em uma estrada de acesso próximo à Lagoa do Portinho e são propriedades privadas. Um dos locais tem nove hectares e pertence à Jovanilda Galeno e sua família que tem enfrentado problemas com a entrada não permitida. Ela, inclusive, registrou Boletim de Ocorrência e adotou demais medidas cabíveis para a preservação da área. 

 

Nas imagens aéreas feitas por André Carvalho é possível observar a dimensão da propriedade de 9 hectares que pertence à Jovanilda Galeno e sua família

O outro local é do empresário Sebastião Fontenele que conta que a área é herança da família e que tem se preocupado com a visita de turistas, principalmente, para o banho, o que não é aconselhável devido a profundidade e também por acumular água parada. 

Atualmente, nenhum dos locais é explorado comercialmente pelos proprietários que não descartam tal possibilidade no futuro. 

 

ASSISTA AO VÍDEO

 

 

Graciane Sousa
[email protected]

Imprimir