Cidadeverde.com
Esporte

Em jogo animado e com gol contra, Botafogo e Fluminense empatam no Engenhão

Imprimir

Em jogo equilibrado no Engenhão, Botafogo e Fluminense empataram em 1 a 1 neste domingo, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com um gol em cada tempo, nenhum dos dois times conseguiu se destacar no clássico carioca. Kevin, em lance confuso dentro da área, marcou contra para abrir o placar e Caio Alexandre empatou na etapa final.

Foto: Lucas Merçon/FFC

O resultado é ruim para ambos, mas pior para o Botafogo, que chegou à marca de 10 partidas sem vencer no Brasileirão. O time do técnico Bruno Lazaroni, que estreou neste domingo, venceu apenas uma vez na competição e segue na zona de rebaixamento, no 18º lugar, com 12 pontos.

O então auxiliar-técnico fixo do Botafogo foi efetivado na vaga do demitido Paulo Autuori e tem a dura missão de tirar a equipe do sufoco e fazê-lo engrenar.

O Fluminense vai aos 18 pontos, na sexta colocação, mas pode ser ultrapassado ao longo da rodada. Com a igualdade, o time tricolor, que vinha de goleada sobre o Coritiba na rodada anterior, perdeu a chance de encostar nos líderes.

O equilíbrio foi a tônica do Clássico Vovô, o quinto do ano, e novamente o Botafogo saiu de campo sem vencer o rival. Em cinco partidas neste ano entre os dois, foram duas vitórias do Fluminense e três empates. Desta vez, teria tido melhor sorte não fosse a trave e as defesas de Muriel.

Na primeira etapa, embora tenha sido superior e acertado uma bola na trave com Rhuan após passe de Kalou, a equipe alvinegra não foi eficiente e viu o adversário, que até então só tinha incomodado nas bolas paradas, abrir o placar no final. 

O lance do gol foi confuso. Nenê cobrou o escanteio da direita, Fred cabeceou forte e Cavalieri defendeu parcialmente. A bola bateu no ombro de Victor Luís e Kevin tentou tirar. No entanto, o lateral acabou colocando para dentro do gol.

O tento foi assinalado contra, de Kevin, apesar da pressão de Fred em cima do árbitro Anderson Daronco. O experiente centroavante tentou mudar a decisão do juiz em longa e curiosa conversa após o final do primeiro tempo, mas não teve êxito.

Na etapa final, Lazaroni abriu mão de Rentería, um dos volantes, e deixou a equipe com quatro atacantes ao colocar Pedro Raul em campo. O Botafogo melhorou e foi para cima do rival.

Depois de Matheus Babi quase marcar em mais um cabeceio no travessão, o segundo no clássico, e Pedro Raul exigir boa defesa de Muriel, os anfitriões, enfim, conseguiram o empate aos 29 minutos, com Caio Alexandre.

No primeiro lance após o reinício da partida, paralisada rapidamente para a pausa para a hidratação, o zagueiro Rafael Forster cobrou falta rasteira com força, a bola desviou no meio do caminho e encontrou Caio Alexandre. O volante dominou e mandou para as redes.

Depois disso, o confronto ficou aberto, com chances para os dois lados. Kanu quase foi às redes em arremate de canhota por cima do gol, e Nenê respondeu na sequência em chute colocado que exigiu boa defesa de Cavalieri. 

Nos acréscimos, os donos da casa quase conseguiram a virada com Pedro Raul, que parou em Muriel, e os visitantes incomodaram com Felippe Cardoso, que exigiu nova intervenção do goleiro botafoguense.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, a 14ª, o Fluminense visita o Goiás na estádio da Serrinha, quarta-feira, às 20h30. No mesmo dia, mas às 21h30, o Botafogo recebe o Palmeiras no Engenhão.

Por Ricardo Magatti, especial para a AE
Estadão Conteúdo

Imprimir