Cidadeverde.com
Últimas

Setut diz que greve de ônibus é ilegal e vai acionar Justiça do Trabalho

Imprimir

Foto: Roberta Aline/ Cidadeverde.com

O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut) considera ilegal  a greve de ônibus deflagrada nesta terça-feira (13) e informou que vai acionar o Ministério Público do Trabalho (MPT) e o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) para que intervenham no movimento grevista. 

Por meio de nota, o Setut acrescenta que não houve comunicação formal do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários do Piauí (Sintetro), conforme previsão legal. 

"O Sindicato lamenta a atitude ilegal da categoria que não permitiu que nenhum veículo saísse das garagens, infringindo, mais uma vez, a última decisão do TRT e MPT que determinou em agosto, que 70% da frota circulasse em horário de pico e 30% em horário entrepico. Além disso, a entidade repudia a intransigência da categoria laboral que fez várias ameaças de depredação de ônibus, caso os mesmos fossem liberados das garagens e circulassem pela cidade", diz trecho da nota. 

O Setut informou ainda que "as empresas vêm cumprido com os pagamentos da folha aos seus colaboradores (motoristas, cobradores e demais setores)". Sobre o ticket alimentação e plano de saúde, a entidade esclarece que desde de janeiro de 2020, as empresas estão desobrigadas a pagar, uma vez que estes itens não foram motivos de negociação coletiva para 2020. 

"Portanto, não há obrigação legal. As empresas destacam ainda que motoristas e cobradores têm recebido material de Proteção Individual, conforme é previsto pelo Plano de Segurança do Transporte Público", finaliza a nota. 

A última greve de ônibus em Teresina encerrou em agosto deste ano após mais de 80 dias do transporte público parado. 

SINTETRO

O Sintetro alegou as seguintes questões trabalhistas para deflagrar a greve: 

Plano de saúde, ticket alimentação, o cumprimento dos 30% da MP 936/2020, melhores condições de trabalho, pontos de apoio com condições adequadas no final de linhas, EPIs como máscaras, álcool em gel, proteção com tela de película ao lado do motorista e na frente dos cobradores, bem como satinização dos ônibus. 

STRANS

Durante a greve- que até o momento é por tempo indeterminado- a  Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) informou que está cadastrando motoristas de veículos alternativos como ônibus, micro-ônibus e vans cadastrados. 

 

Graciane Sousa
[email protected]

Imprimir