Cidadeverde.com
Entretenimento

Ricardo Arraes lança livro Os Soldados-Fotógrafos da Paz

Imprimir

O professor Ricardo Arraes, do curso de História da UFPI, lançou esta semana pela Editora Brazil Publishing, de Curitiba, seu quarto livro, chamado de Os Soldados-Fotógrafos da Paz. 

O livro é uma parte de seu relatório de pós-doutoramento realizado na PUCRS, entre 2014 a 2015. Com mestrado em Ciência Política (Unicamp – 1997) e doutorado na Universidade Federal Fluminense (UFF - 2009), atualmente uma de suas áreas de interesse é a fotografia seja como fonte, linguagem e como documento, que concentra riqueza de informações e significados sobre um dado momento na história.

Foto divulgação

Sobre o livro
Entre os anos de 1957 e 1967, a Organização das Nações Unidas (ONU) organizou e enviou para a fronteira árabe-israelense a sua primeira Missão de Paz, visando acalmar os ânimos entre o Egito e Israel. Essa missão era a Unef (United Nations Emergency Force, na sigla em inglês). 

Militares de dez países – Brasil, Canadá, Colômbia, Dinamarca, Finlândia, Suécia, Índia, Indonésia, Iugoslávia e Noruega – participaram da missão. O ofício principal era servir como um elemento político e militar neutro entre o povo local – os palestinos – e as forças do Egito e de Israel. 

Os militares levaram a paz para a região e escrutinaram profundamente a Faixa de Gaza e uma parte do Oriente Médio. A missão levou para as antigas terras da Palestina militares muito jovens e ávidos pela descoberta e aventura. Era muita informação para gravar e guardar na cabeça. Elementos demais, fantásticos demais para relatar e encontrar quem neles acreditassem. Dessa forma, a fotografia se tornou um meio de comprovação e objeto de lembrança de um período e lugar para os quais jamais retornariam. Assim, os soldados transformaram-se momentaneamente em fotógrafos. Tudo era motivo para fotografar, documentar e comprovar sua passagem por aquelas distantes terras de histórias e guerras antigas e incompreensíveis para os soldados-fotógrafos da paz.

Entre a realização das muitas tarefas, os militares muniram-se de máquinas fotográficas e percorreram o deserto e várias cidades do Oriente Médio e nos presentearam com um belíssimo acervo de imagens a um tempo vívidas e pujantes sobre a terra, a guerra e a cultura que desfilava a sua frente. Este livro não é apenas sobre as imagens, mas sobre seus produtores, os soldados-fotógrafos da paz.

Em virtude da pandemia do coronavírus, o livro foi lançado apenas em plataformas e livrarias virtuais. Os livros físicos ainda não tem data para lançamento em Teresina. Certamente, depois da pandemia.

 

Da redação
[email protected]  

Imprimir