Cidadeverde.com
Esporte

Expulsão atrapalha, Santos passa aperto e fica no 0 a 0 com o Ceará

Imprimir

Foto: Ivan Storti/Santos FC

 

O Santos não conseguiu cumprir sua missão de ganhar do Ceará, na Vila Belmiro. A ideia de levar uma vantagem para o duelo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil foi prejudicada pela expulsão de Lucas Veríssimo ainda no primeiro tempo. Com um a menos, os santistas passaram sufoco na etapa final e acabaram amargando empate por 0 a 0.

O jogo de volta será na próxima quarta-feira, no Castelão. Quem ganhar avança e empate leva a decisão para os pênaltis. Não há o peso do gol fora. Apesar de não ter aberto a vantagem planejada, o Santos sabe que nada está perdido. Longe disso. A equipe paulista já ganhou dos cearenses no duelo do Brasileirão, por 1 a 0, no Castelão.

O Santos, apesar da desvantagem numérica, foi quem teve as chances mais claras. Marinho e Fernando Prass travaram bela batalha. Aos cearenses ficou o lamento de chegar bastante e não acertar o alvo. Suas finalizações passaram todas raspando a trave.

Cuca não admitia outro resultado senão a vitória na Vila Belmiro E armou um Santos bastante ofensivo. Além dos três atacantes, Jobson e Jean Mota tinham a obrigação de atuarem avançados.

Queria abrir o placar rápido para desorganizar o setor defensivo cearense. O time se lançou com tudo. Marcação sob pressão, roubadas de bola e finalizações perigosas de Marinho. Só dava Santos.

Mas nada de gol. Num calor de 30 graus, aos poucos o Santos foi perdendo a intensidade. O sol era forte na Vila Belmiro. O jogo, então, ficou equilibrado.

Até então sumido, Soteldo soltou uma pancada aos 29 para bela defesa de Fernando Prass. O venezuelano apareceu, enfim, no jogo E criou o melhor lance santista.

A resposta veio rápida. Vinícius, pegando um rebote, fez João Paulo trabalhar. Uma defesa complicada de cada lado e um insistente 0 a 0 no marcador.

No fim do primeiro tempo, a situação do Santos complicou no jogo O zagueiro Lucas Veríssimo levantou muito a perna e atingiu a cabeça de Rafael Sóbis com as travas da chuteira. Levou amarelo. O árbitro consultou o VAR e mudou para vermelho. A CBF recomenda expulsão em lance que atinge a cabeça. O atacante sangrou bastante.

Crescendo no jogo, o Ceará fechou a etapa com chute para fora de Eduardo. Vinícius não gostou do egoísmo do companheiro e ambos bateram boca.

Com ânimos mais calmos e um a mais em campo, o Ceará cresceu demais no segundo tempo e deu calor no Santos. Léo Chú, Rafael Sóbis e Rick assustaram João Paulo. Rick até chegou a marcar, mas ajeitou com a mão e o lance acabou invalidado.

Apostando nos contragolpes, o Santos tinha em Marinho seu desafogo. Foram duas belas finalizações do camisa 11. Soteldo cansou e o time ficou mais preocupado em se defender.

Até os zagueiros cearenses se lançavam à frente. O Santos já não tinha mais fôlego e forças para buscar a vantagem planejada. Foram 15 minutos se defendendo. Mesmo assim, numa escapada no último minuto, Marinho ainda exigiu outra defesa de Prass. Não era tarde se gols. A igualdade deixa a decisão aberta e sem favoritos à vaga.

FICHA TÉCNICA:
SANTOS 0 x 0 CEARÁ
SANTOS - João Paulo; Madson, Lucas Veríssimo Luan Peres e Felipe Jonatan Diego Pituca Jobson (Sandry) e Jean Mota (Luiz Felipe); Lucas Braga (Tailson), Soteldo (Arthur Gomes) e Marinho. Técnico: Cuca.
CEARÁ - Fernando Prass; Eduardo, Tiago Pagnussat, Luiz Otávio, e Bruno Pacheco; Fabinho, Charles (Lima), Fernando Sobral (Wescley), Léo Chú (Rick) e Vinícius; Rafael Sóbis (Mateus Gonçalves). Técnico: Guto Ferreira.
CARTÕES AMARELOS - Madson, Tailson, Luiz Felipe, Jean Mota e Marinho (Santos) e Rick, Fabinho, Charles e Léo Chú (Ceará).
CARTÃO VERMELHO - Lucas Veríssimo (Santos).
ÁRBITRO - Vagner Nascimento Magalhães (RJ).
RENDA E PÚBLICO - Jogo disputado com portões fechados.
LOCAL - Vila Belmiro, em Santos (SP).

Por Fábio Hecico, especial para a AE
Estadão Conteúdo

Imprimir