Cidadeverde.com
Política

Flávio Dino diz que vai processar Bolsonaro por declarações em visita ao Maranhão

Imprimir

Foto: Ascom/governodoMaranhão

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B), disse nesta quinta-feira (29) que o diretório estadual de seu partido vai processar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por fazer propaganda política contra candidatos da sigla durante viagem ao estado.

Bolsonaro esteve no Maranhão para inaugurar obras em Imperatriz e, em seu discurso, disse que vai "mandar embora o comunismo do Brasil" e relacionou o comunismo a regimes ditatoriais.

Para o governador, Bolsonaro usou dinheiro público em uma campanha política contra candidatos do PC do B em plena eleição. Por isso, incorreu em crime de improbidade administrativa.

"Ele fez o que se chama de propaganda eleitoral negativa, em evento oficial com dinheiro público", afirmou Dino, à reportagem.

 

 

 

'Virei boiola, igual maranhense'

Jair Bolsonaro ez uma piada preconceituosa nesta quinta-feira (29) em sua primeira visita oficial ao Maranhão. Enquanto se encaminhava para o segundo compromisso do dia, saindo da capital São Luís rumo à cidade de Imperatriz, Bolsonaro se expressou de forma homofóbica após beber um copo do guaraná Jesus, bebida típica do estado.

Em meio a uma grande aglomeração de pessoas e sem usar máscara, o presidente se divertiu com a cor rosa da bebida. Logo após beber os primeiros goles, ele começou a fazer piadas com as pessoas próximas enquanto sua equipe fazia uma transmissão ao vivo em suas redes sociais.

"Agora eu virei boiola. Igual maranhense, é isso?", disse o presidente entre risos. "Guaraná cor-de-rosa do Maranhão aí, quem toma esse guaraná aqui vira maranhense", emendou depois Bolsonaro, mostrando a bebida.

Entre muitas selfies com apoiadores, quase todos também sem máscaras, o presidente ainda voltou a insistir na piada pouco depois. "Guaraná cor-de-rosa. Fod..., fod...", disse.

 

 

 

Fonte: Folhapress

Imprimir