Cidadeverde.com
Esporte

Palmeiras revela que Danilo, Rony e Gabriel Silva contraíram o coronavírus

Imprimir

O Palmeiras anunciou nesta sexta-feira que três atletas do elenco foram diagnosticados com o novo coronavírus. Na rodada de exames de quinta, o volante Danilo e os atacantes Rony e Gabriel Silva foram diagnosticados com a doença. 

Foto - Cesar Greco - Palmeiras

Ao todo, o clube tem no momento cinco jogadores com a covid-19. Antes do trio, o zagueiro Luan e o meio-campista Gabriel Menino também testaram positivo.

Segundo o clube, Danilo, Rony e Gabriel Silva estão assintomáticos e agora vão permanecer em isolamento. Todos devem ficar afastados das atividades do Palmeiras por pelo menos dez dias.

O departamento médico vai continuar a cumprir o protocolo de segurança para reduzir o risco de novas infecções para os demais colegas. Nesta sexta-feira a equipe treina na Academia de Futebol para enfrentar o Fluminense, pelo Campeonato Brasileiro

No início desta semana, o clube confirmou que o zagueiro Luan estava com coronavírus. O defensor foi excluído da relação de jogadores para o duelo com o Ceará, pela Copa do Brasil, e entrou em regime de isolamento para se recuperar da doença. 

A outra baixa do Palmeiras veio nesta quinta-feira, quando Gabriel Menino testou positivo enquanto estava com a seleção brasileira, em Teresópolis.

Gabriel Menino foi desconvocado prontamente pela CBF e deixou a concentração da seleção brasileira. Os demais companheiros de seleção testaram negativo.

Para evitar novos problemas, a CBF montou uma logística em que levou o jogador de volta para São Paulo em uma viagem de carro de quase 500 quilômetros. Um motorista e um segurança que já tiveram o coronavírus e se recuperaram foram os responsáveis pela realização do trajeto.

As três novas ausências do Palmeiras fazem o técnico Abel Ferreira ter 11 desfalques para escalar o time. Além dos cinco casos de covid-19, o clube tem três atletas cedidos para seleções (Weverton, Gómez e Viña) e outros três lesionados (Wesley, Felipe Melo e Luiz Adriano).

Por Ciro Campos
Estadão Conteúdo

Imprimir