Cidadeverde.com
Destaques da TV/Rádio

Dr. Pessoa e Kleber Montezuma trocam acusações e buscam apoio de Gessy Fonseca

Imprimir


O primeiro dia após as eleições foi de troca de acusações entre os candidatos Dr. Pessoa (MDB) e Kleber Montezuma (PSDB) e busca de apoio para o segundo turno, principalmente, da candidata Gessy Fonseca (PSC) que foi a surpresa da eleição e ficou em terceiro lugar, com 50.221 votos. 

Veja apuração aqui

DR. PESSOA

Dr. Pessoa obteve  34,53% dos votos válidos e afirmou que vai buscar apoio de "todos aqueles que não estiverem envolvidos com problemas sérios com a Justiça". 

"Tanto com a Odebrecht como com a  Lava Jato ou outras coisas ruins como PCC, pedofilia. Eu não quero esse pessoal. Quero caminhar limpo com essas mãos limpas. A Gessy é uma senhora jovem, de mãos limpas e, consequentemente, eu irei chamá-la para compor o segundo turno para a gente vencer as eleições, para me ajudar a administrar a cidade de Teresina", disse Dr. Pessoa. 

O candidato do MDB disse ainda que não buscou articulação com ninguém, mas que "política se faz com conversa, olhando para a Constituição, para as leis, para a moralidade, para a impessoalidade, com lisura total". 

"Essas pessoas que têm essa característica, com certeza absoluta, o Dr.Pessoa vai conversar. Mas é o ministro [se referindo ao seu coordenador de campanha, o ex-ministro João Henrique] quem coordena. Ele sabe o meu perfil, que quer gente competente,com lisura, honestidade, imparcialidade e focando o que o piauiense quer, o teresinense quer, uma administração com pessoas de qualidade, olhando para a economia, questões sociais, políticas públicas [...] o Dr. Pessoa vai atrás de votos para consagrar, consalidar a vitória no segundo turno". 

Dr. Pessoa que, durante a campanha para o primeiro turno se ausentou dos debates políticos, indicou que também não irá discutir propostas com o candidato adversário para o segundo turno. 

"Vou atrás de votos com o povo. Não estou disposto, não vou para debate", disse Pessoa. 

KLEBER MONTEZUMA

O candidato Kleber Montezuma obteve 26,70% dos votos válidos diz que "aceitará de coração todos os homens e mulheres de bem que queiram o bem de Teresina". 

"A campanha da Gessy foi brilhante. Ela é inteligente, tem propostas e as propostas dela batem com a nossa. Ela fala de empreendedorismo, o nosso programa tem. Ela fala de empreendedorismo, o nosso programa tem. Então, estamos de braços abertos[...] todos aqueles que puderem contribuir para que a cidade de Teresina continue seguindo em frente. Só tem dois candidatos e precisamos fazer uma comparação. Nós não somos governados por outros, as nossas decisões somos nós que tomamos. Você elegendo o professor Kleber para ser prefeito, você tem certeza que é o professor Kleber que será o prefeito da cidade. Vamos ouvir a todos. Não tomaremos nenhuma decisão importante para a cidade sem antes conversar e dialogar com todos os segmentos e setores que vão ser envolvidos naquele processo. A tomada de decisão não será terceirizada. Tenho autonomia, independência, não fujo do debate, do confronto de ideias. Espero que, agora no segundo turno, aqueles que governam o meu adversário, liberem para que ele venha para o debate e venha dizer para os teresinenses o que ela vai fazer, caso seja eleito. Deixem ele falar, deixem ele vir", disse Montezuma. 

O candidato do PSDB afirma que vai continuar dialogando com as pessoas e buscando votos. 

"Vamos intensificar ainda mais ainda mais a conversa com o eleitor [...] aqueles que não votaram com o professor Kleber no primeiro turno, a minha palavra é: vamos conversar, vamos dialogar. Nosso plano de governo tem muita coisa que bate com o que você está querendo para a cidade. Você está querendo mudança; eu também quero mudança e estou preparado para fazer essas mudanças

O candidato do PSDB também criticou as pesquisas eleitorais que apontavam que ele teria uma margem de votos muito menor. 

"Isso é uma demonstração que as pesquisas foram utilizadas como uma ferramenta de propaganda e nós teresineses já estamos vacinados contra essas pesquisas", disse Kleber Montezuma.

Graciane Sousa
[email protected]

Imprimir