Cidadeverde.com
Geral

140 mil alunos da rede pública do estado devem receber chips com internet

Imprimir

Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

Cerca de 140 mil chips de celulares, com internet, serão distribuídos para alunos da rede pública estadual pela Secretaria Estadual da Educação (Seduc), para que os alunos continuem tendo acesso às aulas remotas. A solenidade que marcará a entrega acontece nesta segunda-feira(23) no Palácio de Karnak. 

Os chips foram adquiridos com tecnologia 4G com um pacote mensal de dados de 20 giga, para os alunos terem acesso aos conteúdos disponibilizados nas plataformas digitais de videoaulas: Canal Educação, Pré-ENEM Seduc, bem como o aplicativo iSEDUC Aluno, onde as aulas são produzidas pelos professores.

Os 140 mil chips correspondem a cerca de 60% dos estudantes da rede estadual, que tem um total de 230 mil alunos, em 656 unidades nos 224 municípios do estado. 

Segundo levantamento feito pela Seduc, desde o início, no dia 13 de abril, 85% dos estudantes matriculados tiveram acesso aos conteúdos por meio de aulas remotas ou atividades impressas. Os alunos tiveram as aulas presenciais suspensas no dia 19 de março. 

Ainda não há previsão para o término do período letivo de 2020. A Seduc informou que ainda está definindo o calendário. 

Sobre os chips

O secretário da Educação, Ellen Gera, afirmou que o Estado buscou fazer a aquisição dos serviços da operadora de telefonia com maior cobertura no território piauiense.  

"O governador Wellington Dias é muito sensível à realidade dos nossos estudantes e a aquisição destes chips de dados é uma prova disso. Procuramos as operadoras que trabalham no nosso Estado e conseguimos fechar parceria com a Embratel e Claro, que estão presentes em 170 munícipios e com isso vamos conseguir ampliar o acesso dos nossos estudantes ao conteúdo digital que estamos disponibilizando por meio do Canal Educação e outras plataformas", reforçou o secretário.

De acordo com o secretário, a empresa também fornecerá uma solução inovadora que facilitará a gestão de dados pela Secretaria de Educação e a comunicação entre professores e estudantes. 

“Por meio da solução da Embratel, a Secretaria poderá estipular regras de uso das linhas móveis; determinar os sites e aplicativos que poderão ser acessados, analisando o consumo deles; bloquear ou desbloquear o compartilhamento de hotspot nos dispositivos e vincular o chip com um determinado aparelho para que ele não funcione em outro celular, por exemplo. Isso possibilita monitorar o consumo de forma mais assertiva, assegurando o uso de dados de maneira eficiente e disponibilidade de conectividade durante todo o ano letivo”, destacou.

Os professores poderão se comunicar com os estudantes com a solução da Embratel, enviando mensagens e arquivos via push, por exemplo, para orientá-los sobre quais conteúdos devem ler ou quais aulas devem assistir. Em uma plataforma, poderão acompanhar a evolução dos estudos, tornando mais próxima a interação com os estudantes quando não estiverem juntos em sala de aula.

"Esse projeto é pioneiro no País pois é o primeiro que une a entrega de conectividade integrada à gestão de dados para uma Secretaria de Educação de Estado. Estamos muito felizes por participarmos dessa iniciativa inovadora e temos certeza de que vamos ajudar o Piauí a levar o ensino do Estado para o próximo nível", afirma Maria Teresa Lima, Diretora Executiva da Embratel para Governo.


Caroline Oliveira
Com informações da Seduc
[email protected]

Imprimir