Cidadeverde.com
Destaques da TV/Rádio

Se depender da minha opinião, PT não participa da prefeitura, diz Fábio Novo

Imprimir

O deputado estadual e ex-candidato a prefeito de Teresina, Fábio Novo, afirmou nesta terça-feira (1) que, se depender dele, o PT não participa da gestão de Dr. Pessoa (MDB) à frente do Palácio da Cidade.  Novo revelou que votou nulo no 2º turno em Teresina após ter uma conversa com o candidato emedebista e ele propor que o apoio fosse brando.

"Se depender da minha opinião, não participa. Meu partido tomou uma posição de votar em Dr. Pessoa, eu votei nulo. E acho que qualquer pessoa que recebesse a visita do Dr. Pessoa em sua casa, e ele pedisse o seu voto, e dissesse que queria o voto escondido e que não queria aparecer com o PT por conta da Lava Jato e da Odebrecht, aí seria  falta de amor próprio se o Fábio Novo votasse no Dr. Pessoa", disse durante entrevista à TV Cidade Verde.

O ex-candidato afirmou ainda que seria incoerente também da sua parte votar em Kleber Montezuma (PSDB).

"Eu votei nulo por conta dessa situação. Eu coloquei claramente que ele (Dr. Pessoa) incorporasse bandeiras que eu defendo. A questão da inclusão das pessoas com deficiências era uma delas. Sobre o Kleber, eu não podia votar nele. Eu era oposição a ele, caso contrário eu seria incoerente", declarou.

Fábio Novo voltou a dizer que foi vítima do antipetismo e que o partido precisa enfrentar o problema de forma mais acentuada.

"Existe toda uma campanha que vem a partir de 2016 e termina enfraquecendo o PT. Eu pelo menos fui vítima do antipetismo. Eu escutava muito as pessoas dizerem isso: você é o mais preparado, debate bem, mas eu não vou votar em você porque é do PT. As pessoas fizeram opção de votar em candidatos que têm 40 processos na justiça e não votaram em Fábio Novo, que não tem nenhum. Isso é o antipetismo que ficou bem forte. Em Recife, a Marília estava na frente e perdeu por uma onda de fake news", afirmou.

"Nosso grande adversário foi o antipetismo e eu estava correto quando eu disse que o PT tinha que ter candidatura em Teresina. A candidatura serviu para reavivar o legado do partido na cidade. Setores do partido não acreditaram na candidatura, fizeram corpo mole e mesmo assim nós tivemos um bom desempenho. O PT chegou a ter quase 50 mil votos em Teresina e aumentou a sua bancada de 2 para 3 vereadores. Faltou muito pouco pra gente fazer o quarto vereador", acrescentou.

De acordo com o parlamentar, o partido não pode parar e insistir em eleições majoritárias. "Precisamos continuar insistindo. Existe um trabalho muito forte que precisa ser feito de combate ao antipetismo e o partido que está envelhecido precisa se renovar. Precisa renovar em novas bandeiras. O PT precisa ter coragem de fazer a quebra de amarras", declarou.

Foto: Roberta Aline

Fábio Novo também fez uma avaliação do resultado das urnas no estado. "De fato nós perdemos prefeitura, mas também teve um fenômeno que colocou o PT de volta às suas origens. No caso do Piauí, por exemplo, nós perdemos prefeituras, mas ganhamos muitos vereadores. Nós tínhamos 198 vereadores e hoje são 310. Também temos vices que aumentaram de 22 para 30. Não ganhamos em nenhuma capital, mas ganhamos em cidades importantes", afirmou.

O petista ainda não decidiu se volta a comandar a Secretaria de Cultura do Estado. Hoje à tarde ele se reúne com o governador Wellington Dias. "Vou conversar com ele hoje à tarde. O cargo é do governador", finalizou.

Hérlon Moraes
[email protected]

Imprimir