Cidadeverde.com
Entretenimento

Atriz Christina Rodrigues morre de Covid à espera de leito em CTI no Rio

Imprimir

Foto: Reprodução/instagram/christinarodrigues19
Christina Rodrigues

A atriz Christina Rodrigues, 47, morreu na manhã desta quinta (17) em decorrência de complicações do novo coronavírus. Desde segunda (14), ela estava internada na enfermaria da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Tijuca com sintomas graves e dificuldades para respirar. A atriz aguardava uma vaga para ser transferida a um leito de CTI (Centro de Terapia Intensiva).

Rodrigues era conhecida por atuar em quadros de humor no Zorra Total, extinto programa da Globo, e também fez participações em diversas novelas, entre elas, "Malhação Sonhos" (2014-2015) e "Beleza Pura" (2008).

A informação sobre a morte da atriz foi divulgada pela Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro, e confirmada por amigos dela à reportagem. "Com pesar, informamos que a paciente Christina Maria Rodrigues Teixeira apresentou piora clínica e foi a óbito no fim desta manhã", informou em nota, a pasta estadual.

Na manhã desta quinta (17), antes da morte da atriz, a assessoria de imprensa da Central Estadual de Regulação (CER) do governo do Rio afirmou que estava à procura do leito que atenderia às "necessidades clínicas da paciente".

"Somente nesta quarta-feira (16) ficou constatada a necessidade de um leito de UTI. Fatores dinâmicos como disponibilidade de leitos e quadro clínico dos pacientes impedem que seja determinada a previsão da transferência", disse a Central, em nota.

FALTAM VAGAS NO RIO
O Rio de Janeiro tem fila de quase 500 pessoas por leitos de Covid-19 e médicos sem salário, segundo reportagem publicada pelo jornal Folha de S.Paulo no início de dezembro. A fila chegou a 491 pessoas na rede pública no dia 8 de dezembro, sendo que 251 delas precisavam de terapia intensiva. Um mês antes, esses números eram de 76 e 30, respectivamente.
Segundo dados divulgados na quarta (16), pela Prefeitura do Rio, a taxa de ocupação de leitos de UTI para Covid-19 na rede SUS (que inclui leitos de unidades municipais, estaduais e federais) no município é de 89%. E a taxa de ocupação nos leitos de enfermaria é de 83%.

Fonte: Folhapress 

Imprimir