Cidadeverde.com
Geral

Bairros de Teresina ficam 60 horas sem energia; empresa diz que retornou 100%

Imprimir

Foto: Redes sociais

Atualizada às 13h50


O apagão que atingiu bairros de Teresina durou mais de 60 horas – dois dias e 18 horas – causando protestos pela cidade e prejuízos para a população e serviços públicos. Por volta das 13h50, a Equatorial informou que foi restabelecido 100% do fornecimento de energia na capital e que existem apenas situações pontuais de falta de luz. 

O Hospital de Campanha Padre Pedro Balzi, montado para atender pacientes com Covid-19, teve que transferir pacientes para outro hospital. 

A falta de energia ocorreu por volta das 20 h do dia 31 de dezembro, após um temporal com fortes ventos e raios cair sobre a cidade. Parte dos moradores passou o Réveillon no escuro. Cerca de dez bairros ficaram sem luz. 

Equipe do Corpo de Bombeiros, Prefeitura de Teresina e Equatorial tiveram trabalho para as retiradas das árvores em cima da fiação elétrica, das residências e das vias públicas. 

Há muitas reclamações, principalmente de regiões da zona Norte. 

Nota de Esclarecimento

A Equatorial Piauí esclarece que, conforme compromisso firmado, concluiu o restabelecimento do fornecimento a 100% das ocorrências coletivas registradas em Teresina nos dias 31 de dezembro e 01 de janeiro, após as fortes chuvas, ventos e raios que atingiram a Capital. Tais ocorrências são aquelas cujo mesmo ponto de defeito na rede afeta o fornecimento a mais de um cliente. 

A força tarefa realizada pela Distribuidora segue agora tratando os casos isolados e pontuais registrados. Há 82 equipes de atendimento emergencial em campo, sendo 15 de manutenção pesada, e quase 300 colaboradores estão empenhados na recuperação da rede elétrica na capital, trabalhando em tempo integral desde o início das ocorrências.

As fortes chuvas geraram severos danos à rede elétrica. Em toda a capital, há registro de, pelo menos, 280 árvores que caíram sobre a rede. Isso corresponde a 90% das ocorrências coletivas registradas desde o dia 31.

Em função da gravidade dos danos causados ao sistema elétrico, os trabalhos de recuperação tiveram alta complexidade e tempo de recomposição maior.  Diferentemente do atendimento emergencial em condições típicas, nesta situação houve a necessidade de reconstrução da infraestrutura de redes que foram destruídas pelo evento climático registrado.

O fornecimento de energia também foi prejudicado pela alta incidência de raios e objetos metálicos lançados sobre a rede, como placas e outdoors, como registrado no bairro Primavera, na zona norte da capital.

A Equatorial Piauí reforça aos clientes que, caso ainda exista algum problema pontual, registrem solicitação nos canais da Distribuidora. Para atendimento aos clientes, estão disponíveis a Central 0800 086 0800, o site e aplicativo da Equatorial Energia. Também é possível informar falta de energia utilizando a Clara, atendente virtual da Distribuidora que atende pelo número (86) 3228-8200, por mensagem no whatsapp.

 

Atualizada às 11h

Após mais de 60 horas do forte temporal que atingiu Teresina na noite do dia 31, moradores de  bairros da capital ainda denunciam que se encontram sem energia. As reclamações chegam, principalmente,  de regiões da zona Norte. 

De acordo com nota divulgada pela Equatorial, a energia já foi normalizada em 98% das regiões afetadas. A empresa afirma que bairros como Santa Clara e Itaperu ainda enfrentam problemas devido  uma área de transformação afetada.

Na nota, a previsão de restabelecimento do fornecimento de energia era por volta do meio dia deste domingo. "Nos bairros Santa Clara e Itaperu, existe uma área de transformação afetada (região atendida por um transformador da Distribuidora), impactando um total de 311 clientes da região onde o fornecimento ainda não foi restabelecido. Contudo, o atendimento já está sendo realizado por equipes da Distribuidora.", diz a nota.

Alguns vereadores começaram a se manifestar e cobrar explicações da empresa. É o caso da vereadora Pollyanna Rocha. Ela emitiu ontem uma nota de repúdio contra a Equatorial em razão da interrupção da energia elétrica.

O sábado foi de protestos em diversos pontos da capital. Na zona Norte, moradores da Vila do Oleiro, bairro são Joaquim, fizeram uma manifestação. Populares montaram uma barricada com pneus que atravessou toda a Avenida Boa Esperança, a 500 metros do Parque Encontro dos Rios, e atearam fogo.

Comerciantes afirmam que acumulam perdas com a falta de energia. Moradores relatam prejuízos como a comida que tem estragado na geladeira. A população relata dificuldade de conmunicação com a empresa. 

A Eqautorial afirma que  82 equipes trabalham em atendimento emergencial, sendo 15 de manutenção pesada, e quase 300 colaboradores na recuperação da rede elétrica na capital, trabalhando em tempo integral desde o início das ocorrências.

Fotos: Adriano Sousa

Nota Equatorial

A Equatorial Piauí esclarece que permanece atuando hoje (03) com estrutura reforçada em campo e no Centro de Operações para reestabelecimento do fornecimento de energia em Teresina. A capital foi fortemente afetada por chuvas, ventos fortes e raios na noite do dia 31 de dezembro. A força tarefa realizada pela Distribuidora contribuiu para o avanço no atendimento e, no momento, 98% da energia das áreas afetadas já foi restabelecida. Há 82 equipes de atendimento emergencial em campo, sendo 15 de manutenção pesada, e quase 300 colaboradores estão empenhados na recuperação da rede elétrica na capital, trabalhando em tempo integral desde o início das ocorrências.

As fortes chuvas geraram severos danos à rede elétrica. Em toda a capital, há registro de, pelo menos, 280 árvores que caíram sobre a rede. Isso corresponde a 90% das ocorrências registradas desde o dia 31.

Em função da gravidade dos danos causados ao sistema elétrico, os trabalhos de recuperação têm alta complexidade e tempo de recomposição maior.  Diferentemente do atendimento emergencial em condições típicas, nesta situação há a necessidade de reconstrução da infraestrutura de redes que foram destruídas pelo evento climático registrado.

O fornecimento de energia também foi prejudicado pela alta incidência de raios e objetos metálicos lançados sobre a rede, como placas e outdoors, como registrado no bairro Primavera, na zona norte da capital.

As equipes operacionais seguem trabalhando nas áreas ainda sem energia, cuja recomposição exigiu esforço mais complexo. Na zona Norte, alguns bairros ainda se encontram parcialmente com o serviço interrompido. Nos bairros Santa Clara e Itaperu, existe uma área de transformação afetada (região atendida por um transformador da Distribuidora), impactando um total de 311 clientes da região onde o fornecimento ainda não foi restabelecido. Contudo, o atendimento já está sendo realizado por equipes da Distribuidora.

A Equatorial reafirma o compromisso de continuar com toda a sua estrutura dedicada até que o fornecimento seja plenamente restabelecido para todos os seus clientes, o que está previsto para acontecer até o meio dia de hoje.


O estudante de Medicina, Adriano dos Anjos Sousa, 37 anos, informou que a energia ainda não retornou em sua casa, no bairro Buenos Aires, zona Norte de Teresina. Para reduzir os prejuízos, ele comprou gelo e colocou os alimentos em isopores. O estudante reclama da falta de atenção da Equatorial. Para carregar o celular está usando bateria do seu veículo. 

“Era para ser um momento de confraternização, de alegria, mas estamos aqui no prejuízo. Há revolta dos moradores, sem informação. Entendemos que foi um fenômeno da natureza, mas a empresa deveria ter uma resposta mais rápida, pagamos um serviço caro para passar por esses transtornos”, disse o estudante.

No bairro de Adriano, a população ateou foco em pneus e interditou a avenida Duque de Caxias, uma das principais vias de acesso ao bairro. Neste domingo, ainda sem energia, a população manteve a avenida interdita com madeira, cavaletes e cadeira.

Lídia Brito e Yala Sena
[email protected]

Imprimir