Cidadeverde.com
Política

No Piauí, Arthur Lira evita rótulo de candidato de Bolsonaro e critica Rodrigo Maia

Imprimir
  • k4.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • k2.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • k1.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • artur9.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • artur8.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • artur7.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • artur6.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • artur5.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • artur4.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • artur3.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • artur2.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • artur1.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com

O deputado federal Arthur Lira (PP- AL), candidato à presidência da Câmara dos Deputados, criticou o atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM), durante visita a Teresina nesta terça-feira (12). Em busca de votos, o parlamentar evitou ainda o rótulo de candidato oficial do presidente Jair Bolsonaro. Ele desembarcou na capital do Piauí por volta das 16h30, acompanhado do senador Ciro Nogueira e de lideranças do Progressistas piauienses e de parlamentares de outros estados. 

Durante entrevista coletiva, ainda no Aeroporto Petrônio Portela, Arthur Lira defendeu a independência da Câmara em relação aos outros poderes.

"Uma coisa é apoio externo ou preferência externa, de qualquer pessoa, preferência do perfil de quem vai ser eleito. A nossa candidatura é fruto da união de todos os deputados. Precisamos ter um contato mais direto com nossos amigos que convivemos em Brasília. A gente volta para os estados num momento de grande importância, numa eleição interna de um poder, mas é a mais importante, que representa a democracia no Brasil", disse.

Arthur Lira também fez críticas ao atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), a quem acusou de centralizar o poder e não dar espaço aos parlamentares.

“O presidente da Câmara não é maior nem é dono dela. Quem tem que falar pela Câmara é a maioria dos deputados. O presidente apenas expressa essa vontade", afirmou.

Arthur Lira também defendeu que a eleição para a mesa diretora aconteça de forma presencial, contrariando o desejo de Maia, que chegou a defender a eleição remota, como forma de evitar riscos de contaminação com o novo coronavirus.

"Não é razoável que milhões de brasileiros tenham ido às urnas em novembro e 513 deputados não possam ir votar de forma presencial, seguindo todos os protocolos e cuidados para evitar contaminação", disse.

Reformas 
O candidato do Progressistas à presidência da Câmara também afirmou que, caso seja eleito, pretende colocar em pautas reformas e a prorrogação do auxílio emergencial.

"Vamos votar algumas das reformas, como a PEC emergecnial, prorogação do auxílio emergencial, e a reforma tributária, a mais complexa de todas elas, que temos que trabalhar com a ajuda dos deputados", declarou.

Depois de sair do Aeroporto, Arthur Lira e comitiva também cumpriram agenda com o governador Wellington Dias, no Palácio de Karnak. O encontro aconteceu de forma amistosa, apesar do chefe do executivo estadual e o Partido dos Trabalhadores já terem declarado apoio a Baleia Rossi (MDB) na disputa pela presidência da Câmara.

Foto: Roberta Aline

Ciro diz que Arthur terá 7 votos no Piauí

O presidente nacional do Progressistas, senador Ciro Nogueira, acompanhou a primeira parte da visita de Arthur Lira a Teresina e chegou a fazer previsão sobre o placar da bancada federal do Piauí na Câmara. "Pelo menos sete votos nós vamos ter", afirmou.

Segundo Ciro, a votação de Arthur Lira tem se consolidado não só no Piauí, mas em todos os estados.

"É uma eleição que está se consolidando. É aquilo que ele está falando: está na hora da Câmara ser de todos. Fico feliz em ter um membro dos Progressistas incorporando essa vontade dos deputados e do Brasil", afirmou.

Resposta a Maia e sem visita ao governador

Ciro Nogueira não acompanhou Arthur Lira ao Palácio de Karnak para encontro com o governador Wellington Dias (PT) e respondeu Rodrigo Maia que, durante a visita de Baleia Rossi ao Piauí, disse que o senador piauiense estava nervoso.

"Quem fica nervoso é quem vai perder. O Rodrigo é um grande amigo que tenho, mas está um certo desespero agora. Ele não está sabendo sair do mandato. Pegou um candidato de última hora. Hoje o Arthur só tem minoria no PT e MDB. É uma vitória que se consolida. O Rodrigo já cumpriu seu papel, foi um bom presidente, agora é hora de sair", finalizou.

Flash Natanael Souza
[email protected]

Imprimir