Cidadeverde.com
Economia

Lojistas querem flexibilizar horário do shopping e comércio na zona Leste

Imprimir
  • Untitled-1.jpg Rômulo Piauilino/ Semcom
  • Untitled-2.jpg Rômulo Piauilino/ Semcom
  • Untitled-3.jpg Rômulo Piauilino/ Semcom
  • Untitled-4.jpg Rômulo Piauilino/ Semcom
  • Untitled-5.jpg Rômulo Piauilino/ Semcom
  • Untitled-6.jpg Rômulo Piauilino/ Semcom
  • Untitled-7.jpg Rômulo Piauilino/ Semcom
  • Untitled-8.jpg Rômulo Piauilino/ Semcom
  • Untitled-9.jpg Rômulo Piauilino/ Semcom
  • Untitled-10.jpg Rômulo Piauilino/ Semcom
  • Untitled-11.jpg Rômulo Piauilino/ Semcom

Atualizada às 14h

Na reunião entre os empresários e o prefeito Dr. Pessoa (MDB), os lojistas de Teresina apresentaram na manhã de hoje (28) uma proposta de flexibilizar o horário de funcionamento do comércio. 

Segundo o presidente do Sindilojas, Tertuliano Passos, a proposta dos empresários é manter o horário de funcionamento do comércio no Centro até às 17h, como determina o decreto estadual, e alterar o horário dos lojistas da zona Leste. Ao invés de 17h, o comércio da zona Leste, estender até às 21h.

Sobre o shopping, a ideia é flexibilizar também ficando das 11h às 22h. Pelo decreto do governador Wellington Dias (PT), o horário dos shopping centers é de 12h às 21h.

Os proprietários de bares e restaurantes pediram que a prefeitura flexibilize até meia noite e não até às 23h como determina as restrições no decreto até o dia 21 de fevereiro.

A Prefeitura de Teresina manterá também as proibições para qualquer atividade de Carnaval.  

O procurador do Município, Aurélio Lobão, informou ao portal Cidadeverde.com que a prefeitura recebeu as sugestões dos empresários e analisa a questão jurídica.

“Vamos passar à tarde debruçados sobre essas questões, analisando junto com a Vigilância Sanitária e COE. Não temos intenção de entrar em conflito com o decreto estadual, o município e o estado, cada um, tem esferas distintas e estamos analisando. No mais tardar até amanhã estaremos lançando o decreto”, disse o procurador.

Ele já adiantou que a prefeitura pretende flexibilizar as regras dos bares e restaurantes, principalmente sobre o som ambiente, mas afirmou que tudo está em análise.    

Atualizada às 12h20

A reunião terminou por volta do meio-dia e depois de ouvir membros da Fundação Municipal de Saúde( FMS), do Comitê de Operações Especiais (COE) do município e também representantes do setor econômico, a assessoria jurídica do Município se reúne para discutir que tipos de alterações podem ser feitas no Decreto Estadual em Teresina. Na saída da reunião, o prefeito Dr. Pessoa informou que tudo está sendo balanceado. 

“O objetivo é proteger o ser humano, mas com o cuidado de olhar a economia do nosso município. Nós vamos ampliar o contato com restaurantes, com comércio, deixar mais liberdade, mas intensificar a fiscalização, obedecendo o controle da Organização Mundial de Saúde (OMS), o comitê, local, nacional”, destacou o prefeito Dr. Pessoa, depois que saiu da reunião.

Dr Pessoa, deixou o local para viajar a Brasília, onde terá um encontro com o presidente da República, Jair Bolsonaro.

O secretário municipal de Finanças, vice-prefeito Robert Rios, comenta que a equipe irá se reunir com a Procuradoria Geral do Município para a elaboração do decreto da Prefeitura de Teresina. Robert Rios ressalta que o horário de funcionamento do comércio é determinado pelo poder executivo municipal. “Quando se tem horário de comércio, é o município. É Teresina que disciplina que hora funciona o comércio, que hora abre que hora fecha, com todo respeito ao decreto do governador (Wellington Dias)”. 

O gestor conta que o decreto municipal seguirá os protocolos sanitários da Organização Municipal de Saúde (OMS). "Tem que ter o distanciamento necessário, usar álcool em gel, entrar com máscara, seguir o protocolo. Proibir é um verbo muito forte; é melhor conscientizar e disciplinar”. A Vigilância Sanitária irá fiscalizar aglomeração em bares e restaurantes.

“Nós temos que proteger a população, mas também ‘sem quebrar’ os comerciantes, os músicos. Todos querem sobreviver. Nós queremos sobreviver do Covid. Os comerciantes querem sobreviver nas suas atividades. Os músicos querem sobreviver. Com pouco de bom senso, de inteligência, nós conseguimos salvar todo o sistema”. 

Apesar dos questionamentos sobre o decreto estadual, o secretário saiu em defesa do governador Wellington Dias.

"Eu não conheço ninguém no mundo que tenha mais bom senso que o governador Wellington Dias. Ele é do bem, tem muito bom senso. Eu acho que algumas pessoas fizeram esse decreto, e ele não reparou direito. Eu acho que ele vai reavaliar esse decreto. Ele é um homem muito inteligente e sensível, incapaz de uma maldade. Ele gosta de música, de bar, de restaurante, de geração de emprego e renda. Eu acho que esse decreto vai ser aperfeiçoado”.  

Matéria original

O prefeito de Teresina Doutor Pessoa (MDB) se reuniu na manhã desta quinta-feira (28) com representantes de seguimentos econômicos da capital e membros do Comitê de Operações Emergenciais(COE). O encontro, que acontece no Palácio da Cidade, tem como pauta principal as restrições impostas pelo decreto do governo do Estado, publicado na última terça-feira. 

A expectativa é que após a discussão, a Prefeitura de Teresina anuncie um posicionamento oficial a respeito das medidas restritivas. 

Mais cedo, antes do encontro, o secretário municipal de Governo, Adolfo Nunes, informou que a Prefeitura de Teresina deve apresentar ainda hoje um posicionamento sobre as medidas restritivas.

De acordo com o secretário, apesar de não ter posicionamento fechado, a tendência é que o poder executivo municipal defenda a flexibilização das medidas, como o aumento dos horários de funcionamento.

"O pensamento da Prefeitura Municipal de Teresina ainda está em elaboração, porque vai ser discutido com alguns segmentos da indústria e do comércio. Mas é flexibilizar. Achamos que abrir os espaços, aumentar o número de coletivos, os horários se. Para não haver aglomeração, achamos que flexibilizar é melhor", disse.

O secretário municipal de Governo também saiu em defesa dos músicos que atuam na noite teresinense, categoria que realizou manifestação na manhã desta quinta-feira, na Avenida Frei Serafim. "É necessário o músico sim, mantendo a regra, a disciplina e as ações de proteção", destacou. 

 


Natanael Souza e Yala Sena
[email protected] 

 

Imprimir