Cidadeverde.com
Entretenimento

Polícia confirma sangue e esperma em roupa de Mc que acusa Anderson de estupro

Imprimir

Foto: Reprodução/Instagram

MC Maylon e Anderson Leonardo, em foto antes da acusação do crime de estupro; cantor do Molejo nega a acusação 

Apesar de não informar se o material é compatível com o DNA do artista, a polícia afirmou, em comunicado enviado à imprensa, que "o laudo na peça de roupa da vítima ficou pronto e comprovou resíduos de sangue e de esperma".

"De acordo com a 33ª DP (Realengo), funcionários do motel e outras testemunhas vão prestar depoimento nesta semana", revelou ainda a polícia.

MC Maylon acusa Anderson Leonardo de tê-lo estuprado no dia 11 de dezembro de 2020, após o cantor prometer levá-lo a uma reunião e entrar em um motel no Rio de Janeiro.

Anderson nega as acusações e advogada de MC Maylon se pronuncia

Em comunicado publicado nas redes sociais, na última quinta-feira, 4, Anderson nega as acusações. "O cantor lamenta profundamente as declarações envolvendo seu nome, refutando qualquer ato de violência contra quem quer que seja, negando categoricamente à acusação completamente falsa de agressão sexual feita em seu desfavor".

"Informa também que conhece a suposta vítima, mas jamais praticou os atos veiculados na imprensa, inclusive, tem conhecimento que a suposta vítima já esteve presente em diversas apresentações artísticas do cantor, em ocasiões posteriores à falaciosa alegação, o que demonstra, claramente, que a narrativa publicada nunca ocorreu", acrescentou.

Maylon também compartilhou um posicionamento de sua advogada Fê Oliveira nas redes sociais, na última sexta-feira, 5, no qual ela afirma que o MC estava sendo acusado de oportunismo nas redes sociais.

"Diante da incontestável prova pericial apresentada à Polícia Civil pela vítima, o cantor entrou em contradição negando o que o mesmo havia comunicado em nota à imprensa publicada no dia 04/02/2021 e admitiu que houve a conjunção carnal".

"Meu cliente vinha sofrendo diversos ataques nas redes sociais por pessoas que duvidavam de sua versão e o acusavam de oportunismo e que agora começam a acreditar na veracidade de seu relato (...) A proximidade que os dois mantiveram após o crime se deu em razão de motivos profissionais, nas promessas de gerenciamento artístico da carreira do jovem MC", disse a advogada.

 

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir