Cidadeverde.com
Cidades

Piauí terá aumento na produção de feijão e castanha de caju de acordo com o IBGE

Imprimir

A produção de feijão em solo piauiense deve ter crescimento de 22,2% em 2021, de acordo com o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) referente ao mês de janeiro de 2021. De acordo com a estimativa, serão produzidas 101 mil toneladas do grão este ano, sendo que a produção em 2020 foi de 83 mil toneladas. O LSPA é realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O aumento na produção do feijão é o maior previsto entre os grãos cultivados no Piauí. O LSPA também prevê crescimentos de 18,1% na fava, de 15,6% na soja, de 7,5% no milho e de 3,5% no arroz produzidos no Piauí. Em 2021, a quantidade total de grãos que devem ser produzidos no estado (5,4 milhões de toneladas) é 10,8% superior ao obtido em 2020, quando o volume foi de 4,9 milhões de toneladas.

Apesar do crescimento, o feijão deve representar apenas 1,8% da produção total de grãos do estado em 2021, pois os maiores volumes são esperados da safra de milho (2,3 milhões de toneladas) e de soja (2,8 milhões de toneladas). Juntos, milho e soja representam 95,5% da produção total de grãos do Piauí, que está estimada em 5,4 milhões de toneladas para 2021.

Em contrapartida, são esperadas reduções de 71% na produção de sorgo e de 31,2% na produção de algodão herbáceo. Com relação ao sorgo, a perspectiva é justificada porque a cultura “se trata de safrinha, ou seja, será plantada após a colheita da soja, sendo assim poderão ocorrer alterações nos números ao longo do ano, a depender da decisão dos produtores”, conforme explica o supervisor de Pesquisas Agropecuárias do IBGE no Piauí, Pedro Andrade. Já o algodão, deve ter queda devido à “supervalorização da soja e do milho, fazendo com que os produtores prefiram plantar soja ou milho nesta safra, em detrimento do algodão”, esclarece o supervisor.

As informações do LSPA são obtidas por meio de reuniões, que ocorrem periodicamente em todos os 224 municípios piauienses. Os dados coletados são homologados por entidades das áreas pública e privada – instituições financeiras, órgãos de pesquisas, extensão rural, secretarias de agricultura, sindicatos de trabalhadores rurais, cooperativas, associações, produtores. Todas as informações são fundamentadas com subsídios, como pesquisas de campo realizadas com consulta aos maiores produtores.

Piauí deve produzir 10% mais castanha de caju em 2021

O Piauí deve produzir 25,5 mil toneladas de castanha de caju em 2021, o que representa um aumento de 10,2% na comparação com as 23,1 mil toneladas produzidas em 2020. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e foram obtidos por meio do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) referente ao mês de janeiro de 2021.

De acordo com o supervisor de Pesquisas Agropecuárias do IBGE no Piauí, Pedro Andrade, “o aumento de 10,2% na produção prevista para 2021, em relação à safra 2020, é proporcionado pelo incremento de 2,5% na área de produção e pela melhora na expectativa de rendimento médio, considerando as condições climáticas adequadas”.

Foram utilizados 74,6 mil hectares para cultivar o produto em 2020, número que chegou a 76,5 mil hectares em 2021, revelando o aumento de 2,5% na área plantada. A previsão é de que a área colhida tenha crescimento proporcional de 2% em 2021, passando dos 71,1 mil hectares registrados em 2020 para 72,6 mil hectares em 2021.

Também é esperado que o rendimento da produção de castanha de caju cresça 7,9% em 2021. Desse modo, devem ser produzidos 351 kg de castanha de caju por hectare este ano, em contraponto ao rendimento de 326 kg por hectare obtido em 2020.

( com informações ascom)

Imprimir