Cidadeverde.com
Esporte

Vasco fica muito perto do 4º rebaixamento e de igualar recorde negativo

Imprimir

Tetracampeão brasileiro, o Vasco está muito perto de se juntar a Avaí, Vitória e Coritiba na lista de clubes com mais rebaixamentos para a Série B nacional na era dos pontos corridos, iniciada em 2003.

Foto - Rafael Ribeiro - Vasco

A equipe cruzmaltina empatou em 0 a 0 com o Corinthians neste domingo (21), na Neo Química Arena, em São Paulo. O resultado tornou quase impossível para o time carioca não disputar a segunda divisão pela quarta vez na história –também caiu em 2008, 2013 e 2015.

Para escapar da queda, precisará na última rodada vencer o Goiás, torcer para que o Fortaleza perca para o Fluminense e ainda tirar uma diferença de 12 no saldo de gols.

Assim, o time deverá se juntará ao rival Botafogo na próxima Série B, deixando apenas Flamengo e Fluminense como representantes do Rio de Janeiro na elite. A próxima temporada da divisão de acesso provavelmente terá o recorde de cinco campeões nacionais da Série A: além dos cariocas, Cruzeiro, Coritiba e Guarani.

O Vasco teve bom início de campeonato e chegou a assumir a liderança do Brasileiro na quarta rodada, depois de engatar três vitórias consecutivas. Mas, com dificuldades financeiras e carências em quase todos os setores do elenco, o folêgo vascaíno durou pouco.

Após ser eliminado pelo rival Botafogo na Copa do Brasil, em setembro do ano passado, a equipe de São Januário amargou jejum de oito jogos sem vitória no Nacional.
Com muitas deficiências técnicas, o Vasco sofreu com sua incapacidade em criar chances de gol. 

A equipe tem um dos piores ataques do campeonato, com 34 gols marcados, desempenho apenas melhor que o do Sport, além dos já rebaixados Coritiba e Botafogo.

Boa parte desses gols foi anotada pelo atacante argentino Germán Cano, que marcou 13 vezes na competição.

O mau futebol apresentado fez a equipe carioca trocar de técnico várias vezes na temporada. Quatro treinadores comandaram o Vasco desde o início de 2020: Abel Braga, hoje à frente do Internacional, Ramon Menezes, o português Ricardo Sá Pinto e Vanderlei Luxemburgo.

Anunciado em 31 de dezembro com contrato inicialmente até o término do Brasileiro, Luxemburgo pode fracassar no objetivo de manter o Vasco na Série A. Ele assumiu a equipe na 17ª posição.

É a segunda passagem do treinador pelo Vasco. Na primeira, em 2019, Luxemburgo também teve o objetivo de salvar a equipe cruzmaltina do risco de rebaixamento no Brasileiro. Na ocasião, além de tirar o time do Z4, ele conseguiu a classificação para a Copa Sul-Americana.

Antes do clube carioca, Luxemburgo treinou o Palmeiras, mas acabou demitido após resultados ruins e críticas dos torcedores pelo time que viria a ser campeão da Libertadores sob o comando de Abel Ferreira não apresentar um bom futebol mesmo com o título do Campeonato Paulista, em agosto.

A uma rodada do fim da competição, o Vasco tem 9 vitórias, 11 empates e 17 derrotas no Brasileiro. Um aproveitamento de 34,2% dos pontos disputados.

O último título do Vasco no Campeonato Brasileiro foi conquistado em 2000. A equipe ainda não levantou a taça na era dos pontos corridos.

O melhor desempenho do clube nesse formato aconteceu em 2011, quando o time cruzmaltino disputou o título até a última rodada, mas terminou na vice-liderança e viu o Corinthians se tornar campeão.

Entre os quatro clubes grandes do Rio, apenas o Flamengo nunca foi rebaixado. O Botafogo, que também dusputará o próximo Brasileiro na Série B, foi rebaixado três vezes, e o Fluminense, duas -em 1996, porém, a equipe tricolor escapou após uma virada de mesa.

Fonte: Folhapress

Imprimir