Cidadeverde.com
Economia

Fechamento total das atividades seria prejuízo para economia no Piauí, diz Raul Lopes

Imprimir

O presidente da Associação de Supermercados do Piauí, Raul Lopes, destaca que o “prejuízo seria total” para a economia no estado caso o Governo do Piauí adotasse, neste momento, o fechamento das atividades econômicas por período prolongado. 

O fechamento das atividades não essenciais é uma alternativa para reduzir a circulação de pessoas e, consequentemente, a transmissão do novo coronavírus, pois o país vive a pandemia da Covid-19. Atualmente, o governo adotou toque de recolher limitando a circulação de pessoas nas ruas, além de medidas restritivas durante a semana em relação às atividades econômicas e o lockdown parcial no final de semana. 

“Seria um desastre total. Não tem como. A população não aceitaria de forma alguma isso. Os países lá fora podem até adotar, mas o nosso povo não tem como fazer isso. (No ano passado), quando fecharam o supermercado no final de semana, foi um desastre total. Eu falei que estavam errados, nós temos que ter os supermercados abertos para atender a população”.

Neste final de semana, por meio do decreto Nº 19.479, de 22 de fevereiro de 2021, somente atividades essenciais poderão funcionar.  As mercearias, mercadinhos, mercados, supermercados, hipermercados, padarias e produtos alimentícios estarão abertos. 

“Os supermercados vão funcionar normalmente. Não há alteração no horário. As autoridades entenderam que fechar supermercado não traz nenhum benefício à população, quanto mais tempo o supermercado permanecer aberto menos aglomerações ocorrerá nas lojas. Por lei, é uma atividade essencial”, diz. 

Raul Lopes considera que um supermercado fechado durante todo o final de semana gera prejuízo a todos. 

“É uma atividade essencial que precisa estar aberta. É necessário que esteja aberto. O prejuízo é enorme, tanto para a população como para o faturamento, receita de ICMS etc.”. 

 

Carlienne Carpaso
[email protected] 

Imprimir