Cidadeverde.com
Política

"Honestidade é uma obrigação", diz Ciro Nogueira sobre arquivamento no STF

Imprimir


O presidente nacional do Progressistas, o senador piauiense Ciro Nogueira, comentou sobre o arquivamento da denúncia em que ele, o atual presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL) e os deputados Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) e Eduardo da Fonte (PP-PE) eram réus no âmbito da operação Lava Jato. A acusação era de que os citados teriam usado os mandatos para influenciar órgãos como Petrobras e Ministério das Cidades e desviar recursos de contratos públicos.

"Tenho defendido que quem for culpado tem que ser punido exemplarmente, agora quem for inocente, a Justiça tem que reconhecer isso. Só temos que olhar para frente. Esse tipo de situação não merece aplauso, não merece honraria. Honestidade é uma obrigação de qualquer cidadão e, desde o início, a população do Piauí viu o tanto que fui firme. A pessoa chegar ao ponto de dizer que renunciaria ao mandato se qualquer coisa fosse encontrada. Acho que a população vê nisso uma firmeza muito grande, uma demonstração da lisura do meu comportamento", declarou Ciro Nogueira. 

Vacinação em massa fechamento de leitos

Em entrevista ao Notícia da Manhã, o senador também comentou sobre a situação da Covid-19 que, ontem (02), superou uma triste marca no número de casos e mortes no país. No Piauí, nas últimas 24 horas, foram registrados o total de 1004 novos casos e 22 óbitos devido a doença.

Ciro Nogueira criticou o fechamento de leitos Covid-19 no Piauí e comparou a situação a "tirar armas e munições em uma guerra". Segundo ele, o Governo Federal disponibilizou recursos suficientes para o enfrentamento da pandemia, mas o dinheiro foi usado de forma indevida. 

"O Governo Federal, na história do país, nunca encaminhou tantos recursos para estados e municípios. Os estados, ao invés de gastarem os recursos com estrutura para a nossa população, foram fazer caixa. Essa é a grande verdade. Agora, não nos resta outra alternativa a não ser apelar ao Governo Federal pela vacina e auxílio emergencial. Acho muito complicado conseguir mais recursos para estruturar novamente os estados, já que isso já ocorreu. Foi aberta uma quantidade muito grande de leitos no Piauí  e já foram encerrrados. Você mostra um contrassenso muito grande. É como se tirássemosas munições e as armas no meio de uma guerra. Isso fatalmente ocorreu no Piauí e, pelo que sei, na grande maioria dos estados", disse Ciro Nogueira. 

O senador defendeu a vacinação em massa para a população como alternativa para sair da crise causada pela pandemia. 

"Apelei ao presidente da Câmara que focasse na vacina. Só iremos sair dessa crise quando tiver com toda a população vacinada e livre desse vírus. E sobre o auxílio emergencial estamos tratando no Senado. É fundamental que apenas não defendamos o auxílio, mas darmos as condições para que o Governo Federal possa pagar o auxílio emergencial", reitera Nogueira. 


Graciane Sousa
[email protected]

Imprimir