Cidadeverde.com
Geral

CRM e entidades de saúde divulgam nota defendendo fechamento de serviços por 14 dias

Imprimir

Foto: Roberta Aline


O Conselho Regional de Medicina (CRM) e entidades ligadas aos profissionais de saúde divulgaram nota pública na tarde desta sexta-feira (12) defendendo a suspensão total de atividades não essenciais, devido o agravamento da pandemia. A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) também integrou o comunicado. 

Veja aqui nota das entidades

Assinam a nota o Conselho Regional de Medicina do Piauí (CRM-PI), a OAB Piauí, Conselho Regional de Enfermagem- COREN-PI e do Conselho Regional de Fisioterapia- CREFITO-14. As entidades alertam à sociedade e aos gestores piauienses para a adoção de medidas mais rígidas e eficazes para a preservação da vida humana no momento de pandemia. 

A nota conjunta expõe a situação real do sistema de saúde em decorrência da grande quantidade de casos e óbitos causados pela Covid-19. 

O aumento do número de casos e óbitos pela Covid, a circulação das novas variantes do coranavírus, a ocupação de 100% dos leitos de UTI, a lista de espera, a escassez de insumos e medicações no mercado, o ritmo lento de vacinação, dentre outros assuntos foram abordados no documento.

O comunicado reforça o que o CRM-PI já vem alertando, qual seja a necessidade de reforço na adoção, tais como o uso de máscara, higienização das mãos, bem como a ampliação das medidas restritivas já implantadas no que se refere à circulação de pessoas, o distanciamento social ampliado, entre outras. 

O que as entidades concordam é que faz-se urgente a adoção de medidas que impeçam mais mortes, principalmente por falta de vagas no sistema de saúde pública e privado.

“A preocupação é que o Piauí não se torne um Amazonas em que a capital, Manaus, ficou sem atendimento, devido o colapso no sistema”, disse Mírian Parente, presidente do CRM. 

 

Flash Yala Sena (Com informações do CRM)
[email protected]

 

Imprimir