Cidadeverde.com
Cidades

Segurança: Prefeito vai instalar câmeras na cidade de Cristino Castro

Imprimir

 

O prefeito Felipe Ferreira Dias, de Cristino Castro, destaca que a gestão estuda fortalecer o turismo ecológico e a agricultura familiar na região. A gestão também irá instalar sistema de videomonitoramento na cidade para reforçar a sensação de segurança da população. Inicialmente, 16 câmeras serão instaladas na cidade. 

O gestor ressalta que parcerias com a Universidade Federal do Piauí (UFPI) já foram firmadas para o serviço de assessoria técnica aos agricultores familiares. 

O município é conhecido pela existência dos famosos “Poços Jorrantes”, nos quais saem água em abundância 24 horas por dia. 

“Nós, inclusive, estamos preparando um relatório físico-químico da água que vai testar a qualidade, que é praticamente mineral. Uma água muito pura. Além da nossa iniciativa à agricultura e ao cultivo, a gente também vai buscar atrair grandes empresas para que possam se instalar na nossa cidade e gerar mais empregos”.

Segurança 

Em entrevista ao Jornal do Piauí, nesta segunda-feira (15), o prefeito comentou que a Secretaria de Segurança Pública deve reformar e reconstruir a delegacia na cidade que estava inativa. 

“Nós também estivemos com o comandante geral (da Polícia Militar), coronel Lindomar, que se comprometeu, ainda neste semestre, aumentar o número do efetivo policial. Então, é mais segurança que vai chegar até a nossa população”.

O prefeito acrescenta que a gestão irá implementar o sistema de videomonitoramento. “Serão 16 câmeras espalhadas pela cidade para que a gente possa junto com a tecnologia garantir mais segurança”. 

Pandemia Covid-19

O prefeito também pede que os moradores de Cristino Castro continuem com as medidas preventivas de combate à Covid-19. A prevenção evita que as pessoas sejam infectadas pelo novo coronavírus e necessitem de um leito na rede hospitalar de Teresina. 

“Se preservem o máximo possível para que a gente não precise se deslocar a Teresina porque infelizmente não estamos tendo leitos de UTI (unidade de tratamento intensivo)”. 

Carlienne Carpaso
[email protected]

Imprimir