Cidadeverde.com
Entretenimento

Programa de Sharon Osbourne tem retorno adiado após acusações de racismo

Imprimir

Foto: Reprodução/instagram/@sharonosbourne

Após Sharon Osbourne ser acusada de racismo, a rede de TV americana CBS decidiu adiar o retorno ao vivo do programa The Talk, que é apresentado por ela. Em comunicado ao Hollywood Reporter, a emissora informou que realiza uma investigação sobre os fatos ocorridos e que geraram grande repercussão. A mulher de Ozzy nega as denúncias.

"A CBS está comprometida com um ambiente de trabalho diversificado, inclusivo e respeitoso em todas as nossas produções. Também estamos muito atentos às importantes preocupações expressas e às discussões em andamento sobre os eventos no The Talk. Isso inclui um processo em que todas as vozes são ouvidas, as reclamações são investigadas e as ações apropriadas são tomadas quando necessário", diz a empresa.

Desta forma, a atração matinal que deveria retomar nesta quinta (17), só deve voltar na próxima terça (23). A polêmica começou no programa de 10 de março, quando ocorreu uma discussão acalorada entre Sharon Osbourne e Sherly Underwood.

Na ocasião, Sharon saiu em defesa do apresentador e jornalista britânico Piers Morgan, 55, que deixou o estúdio do programa Good Morning Britain (e depois pediu demissão) por ser criticado ao dizer que não acreditava "em uma palavra" de Meghan Markle na entrevista que a duquesa deu para Oprah Winfrey. Para muitos, Morgan foi racista.

Na discussão com Sherly, Sharon disse que gostaria de saber o que Morgan tinha feito de errado. "Sinto que estou prestes a ser colocada na cadeira elétrica porque tenho um amigo, que muitas pessoas pensam que é racista. Então, isso me torna um racista?", indagou ela.

A polêmica aumentou depois disso. Holly Robinson Peete, que participou do elenco original de The Talk, tuitou que Sharon havia feito comentários racistas sobre ela, o que foi negado pela apresentadora.

Posteriormente, o jornalista Yashar Ali publicou que entrevistou 11 pessoas, incluindo a também ex-apresentadora do programa Leah Remini, sobre outros comentários racistas que teriam sido feitos pela mulher de Ozzy nos bastidores da atração. De acordo com o jornalista, Sharon teria chamado a apresentadora Julie Chen de "olhos rasgados" e "wonton" (prato da culinária oriental).
Em resposta ao jornalista, Howard Bragman, que atua como relações públicas de Sharon, encaminhou uma nota em que afirmou serem falsas as acusações.

"A única coisa pior do que um ex-funcionário insatisfeito é um ex-apresentador de talk show insatisfeito. Por 11 anos, Sharon tem sido gentil e amigável com os apresentadores, como evidenciado por dar-lhes festas, convidá-los para sua casa no Reino Unido e outros gestos de gentileza demais para citar. Sharon está desapontada, mas imperturbável e dificilmente surpresa com as mentiras, a reformulação da história e a amargura que está surgindo neste momento."

Sharon também já tinha pedido desculpas, por meio do Twitter, após a discussão no The Talk em que saiu em defesa de Piers Morgan "Eu sempre fui abraçada com muito amor e apoio pela comunidade negra [...] A todas as pessoas que eu ofendi e/ou a qualquer um que se sinta confuso ou decepcionado com o que eu disse, eu peço sinceras desculpas. Eu fiquei em pânico, me senti atacada pelas costas, fiquei na defensiva e permiti que meu medo & horror de ser acusada de ser racista me dominassem", escreveu.

 

Fonte: Folhapress

 

Imprimir