Cidadeverde.com
Entretenimento

Ex-mulher de Tom Veiga diz que ator teve vergonha de denunciar Cybelle Hermínio

Imprimir

Reprodução/Instagram/segredim_da_ale
Tom Veiga, intérprete do Louro José, com Alessandra Veiga

A polêmica envolvendo testamento e herança de Tom Veiga, conhecido por dar vida ao Louro José, está longe do fim. Após a viúva do artista, Cybelle Hermínio, se defender das acusações de que teria agredido Tom, foi a vez de outra ex-mulher do humorista se manifestar.

Alessandra Veiga, com quem o artista foi casado por 14 anos e teve dois filhos, rebateu a afirmação de Hermínio de que "não havia data para a assinatura do divórcio" entre Tom e ela. "Cybelle disse que não tem nada de divórcio. Tinha dado o divórcio, sim", disse, reafirmando que o humorista iria se separar legalmente de Hermínio dia 5 de novembro.

Alessandra falou ainda que Tom havia confidenciado que tinha sido agredido, mas que não queria expor o caso publicamente. "Ele tinha vergonha. Como ele vai fazer um boletim de ocorrência? Ele pediu para não contar para ninguém", disse ela, explicando que o ator tinha receio de, na tentativa de se proteger, ser denunciado por violência doméstica.

"Ele disse ter sido vítima de um golpe porque quando ela o provocou para reagir, disse: 'vai reage, você não vai fazer nada?'. Ele acreditava que se ele fosse revidar e ela se machucasse, ela entraria com a lei Maria da Penha", contou Alessandra em entrevista a Roberto Cabrini, que será exibida neste domingo (11) no Domingo Espetacular (RecordTV).

A morte de Tom, em 1° de novembro de 2020, ocorreu em decorrência de um AVC (Acidente Vascular Cerebral) hemorrágico provocado por um aneurisma, segundo laudo do IML (Instituto Médico Legal).

Alessandra e Tom romperam em 2018. No mesmo ano, o ator começou a namorar a investidora Hermínio. Os dois mantinham uma união estável desde junho de 2019. Eles se casaram em uma cerimônia religiosa em janeiro de 2020, mas ficaram apenas nove meses juntos. A oficialização aconteceu apenas em agosto daquele ano, com separação total de bens, mas eles se separaram poucos dias depois.

 

Fonte: Folhapress

Imprimir