Cidadeverde.com
Cidades

Em um dia, dez profissionais de saúde testam positivo e prefeito crê em nova variante

Imprimir

Foto: reprodução Google Maps

O prefeito de Curimatá, Valdecir Albuquerque, demonstrou preocupação e angústia com a situação da Covid-19 na cidade. Somente nesta sexta-feira (16), dez dos 21 profissionais de saúde, entre enfermeiros e técnicos em Enfermagem, testaram positivo. Além deles, oito motoristas do Samu também positivaram para a doença. A cidade piauiense- que tem cerca de 12 mil habitantes e não UTIs- enfrenta ainda leitos clínicos lotados 132 pessoas em tratamento domiciliar. 

Os dez profissionais infectados atuam no centro de avaliação e testagem da Covid-19 que teve que ser fechado. 

Em entrevista ao Cidadeverde.com, o prefeito acredita que a rapidez do avanço da doença se deve a circulação de uma nova variante. Diante da situação, ele disse que fará um apelo ao governador Wellington Dias para que envie uma equipe de saúde  à cidade para descobrir o por quê da rápida disseminação da doença. 

"Em conversa que tive com nossa equipe de médicos, enfermeiros, técnicos em Enfermagem, bioquímicos, o diretor do hospital, nós acreditamos que no nosso município esteja tendo uma nova variante do coronavírus. Acho que é uma nova cepa e que tá muito agressiva, mais forte que no ano passado. 11 pessoas já faleceram na cidade, inclusive um vereador esta semana. O que pleiteio, em nome do município, é que possa ser enviada uma equipe de saúde do próprio estado a Curimatá. Estamos consumindo muito oxigênio, todos os leitos estão ocupados e pessoas da saúde já vacinadas estão tendo sintomas fortes. Então, quem é que vai cuidar da população?", questiona o gestor municipal.

Segundo o prefeito, os profissionais de saúde infectados já receberam a segunda dose da Covid-19. 


MEDIDAS RESTRITIVAS

Valdecir Albuquerque diz que tem adotado medidas mais rígidas que o decreto estadual, inclusive com a suspensão das celebrações religiosas de sexta a domingo. Nesses dias, os supermercados só podem funcionar por meio de delivery. 

De acordo o gestor municipal, os 17 leitos clínicos do Hospital Estadual Júlio Borges de Macedo estão ocupados. Além de atender pacientes da própria cidade, a unidade de saúde é referência para moradores dos municípios de Júlio Borges, Morro Cabeça no Tempo, Parnaguá e Avelino Lopes.

"Vamos entrar em uma situação caótica. Já tivemos mais de 600 casos confirmados e temos 132 pessoas em isolamento", reitera Valdecir Albuquerque. 

Assim como os profissionais de saúde (veja vídeo abaixo), o prefeito de Curimatá também fez um apelo à população. 

"As pessoas têm que entender a gravidade do momento. Estamos tomando todas as medidas, mas as pessoas continuam se aglomerando em casa, fazendo churrascos e festinhas clandestinas. Temos 132 pessoas em isolamento social, oito motoristas do Samu positivados, leitos lotados, dez profissionais do centro de testagem também com a doença. É uma situação preocupante e a população precisa entender a gravidade disso. Há duas noites não durmo porque as pessoas batem na minha porta. Estamos fazendo o que podemos, mas a sensação é de impotência diante da gravidade. É uma angustia! estamos seguindo todo o protocolo, já fizemos mais de 4 mil testes", desabafou o gestor municipal.

De acordo o prefeito, os 17 leitos clínicos do Hospital Estadual Júlio Borges de Macedo estão ocupados. Além de atender pacientes da própria cidade, a unidade de saúde é referência para moradores dos municípios de Júlio Borges, Morro Cabeça no Tempo, Parnaguá e Avelino Lopes. 


Graciane Sousa
[email protected]

Imprimir