Cidadeverde.com
Entretenimento

Missa de Sétimo Dia de Paulo Gustavo acontece no Cristo Redentor

Imprimir

Foto: Reprodução da TV

Familiares e amigos próximos de Paulo Gustavo estão reunidos nesta terça-feira (11) para a Missa de Sétimo Dia dele. O ator e humorista morreu no dia 4 de maio em decorrência de complicações causadas pela Covid-19.

A missa foi realizada pelo padre Omar, o mesmo que participou da cremação do ator, mas também havia outros religiosos participando da celebração. A cerimônia ocorreu no Santuário Cristo Redentor, aos pés do famoso cartão postal do Rio de Janeiro.

Entre os presentes, estavam a mãe dele, Dea Lúcia Amaral, uma das principais inspirações de Paulo Gustavo, o pai, Júlio Marcos, e a irmã Juliana Amaral, além do marido dele, o dermatologista Thales Bretas.

Já entre os amigos famosos estavam o casal de apresentadores Luciano Huck e Angélica e as atrizes Ingrid Guimarães, Mônica Martelli e Samantha Schmütz. Regina Casé participou segurando uma imagem de Nossa Senhora e puxando as orações Ave Maria e Salve Rainha.

Ao final da cerimônia, que durou pouco mais de uma hora, o Cristo Redentor foi apagado por alguns momentos. Era uma homenagem às mais de 400 mil vítimas de Covid-19 no Brasil, representadas por Paulo Gustavo.

Depois, ainda houve a leitura de um texto feita por Susana Garcia, diretora do filme "Minha Mãe É uma Peça", que representou os amigos do humorista. "Como viver sem você, nosso amigo, nosso irmão tão amado?", lamentou. "O espaço que você ocupava no dia a dia da vida da gente era enorme, você quando chegava era explosão de alegria."

Houve aplausos quando ela disse que o humorista morreu por uma doença para a qual já existe vacina. "Seremos cada vez mais um imenso mar de força, determinação e coragem contra tudo o que nega a vida", disse. "Essa dor que sentimos agora não vai ser maior que a alegria que você sempre nos proporcionou."

Na sequência, muito emocionada, a irmã do humorista leu palavras de Santo Agostinho. "Eu não estou longe, apenas estou do outro lado do caminho. A vida continua linda e bela como sempre foi", disse. "Eu te amo, irmão."

Thales Bretas, na sequência, agradeceu pelos 7 anos que passou ao lado de Paulo Gustavo. "O amor é transformador e o nosso não só me evoluiu para sempre como alcançou várias famílias para sempre como exemplo de tolerância, respeito e união", avaliou.

"Tínhamos tantos planos para tantos anos que acho que é para além desta encarnação", comentou. Ele também disse que o marido o fazia se sentir o homem mais especial do planeta e revelou que no começo não acreditou que eles poderiam dar certo por serem muito diferentes. "Ele ouvia Beyoncé; eu, Marisa Monte."

Porém, depois percebeu que as diferenças só faziam ambos melhores e disse que eles tiveram um "encontro de almas". Sobre os filhos Gael e Romeu ele disse: "Prometo cuidar para sempre e transmitir tudo o que aprendi com papai Paulo".

"Te amei demais, te amo e te amarei para sempre", concluiu. "Espero ter a honra de cruzar de novo com essa luz na eternidade."

Por fim, Dea Lúcia se manifestou. "O último show ele fez para mim porque a vida toda eu cantava na noite, nas serestas, e eu levava eles pequenininhos, ele quis realizar esse desejo", revelou. "Como ele gostava de me ver cantar, vou cantar uma música para ele."

Ela então cantou a música "Fascinação" em homenagem a ele. "Meu filho passou no teste do Enem da vida", afirmou. "Eu não sou forte como todo mundo diz. A minha força está em Deus. É a fé que me ajuda."

Dea Lúcia ainda agradeceu aos amigos e fãs do ator. "Foram 54 dias de sofrimento, mas vocês me ajudaram", disse. "Ele se curou, ele foi embora, ele está lá em cima orando por nós. Eu me coloco de joelhos por todas as mães que perderam seus filhos para essa maldita doença. Cada morte eu sofro. É muito triste, gente, filho não deveria ir embora antes da mãe."

A cerimônia pode ser acompanhada por fãs e admiradores por meio do canal pago Multishow e da Globoplay, que abriu o sinal para que mesmo quem não é assinante possa assistir. De acordo com a assessoria de imprensa de Paulo Gustavo, trata-se de uma "retribuição a todas as manifestações de carinho" que a família dele tem recebido.

No começo da missa, Didi Wagner, escalada para abrir a transmissão, se emocionou. "Eu me sinto honrada de ter sido convidada para estar aqui como representante do canal Multishow e como amiga do Paulo Gustavo", disse. "Ainda está sendo muito difícil assimilar a partida de uma pessoa tão especial, com tantas coisas linda que imaginamos que ainda iriam acontecer na sua vida."

?Comunicado enviado à imprensa afirma que a celebração seguiria as normas internacionais contra o coronavírus e as regras da Arquidiocese do Rio de Janeiro e da Vigilância Sanitária. "Na missa, restrita a parentes e amigos próximos do artista, homenagens serão feitas ao ator e a todas as vítimas da Covid-19", diz o texto.?

Paulo Gustavo morreu aos 42 anos, após quase dois meses internado em um hospital da zona sul do Rio, devido a complicações da Covid. Antes da confirmação de morte, a equipe médica já tinha classificado seu quadro como irreversível.

"Após a constatação da embolia gasosa disseminada ocorrida no último domingo, em decorrência de fístula brônquio-venosa, o estado de saúde do paciente vem deteriorando de forma importante", afirmava o último boletim médico.

O ator foi internado no dia 13 de março e respondeu bem ao tratamento. Porém, no dia 2 de abril, seu estado piorou e ele passou a respirar com a ajuda de ECMO (Oxigenação por Membrana Extracorpórea), uma espécie de pulmão artificial.

Nos dia seguinte, a equipe médica identificou uma fístula broncopleural, espécie de comunicação anormal entre os brônquios e a pleura, que foi corrigida. Paulo Gustavo também teve que receber uma transfusão de sangue, segundo seu marido.

Dias depois foi realizada uma toracoscopia, na qual uma nova fístula broncopleural foi identificada e corrigida. "Todos os profissionais têm se empenhado incessantemente pela sua recuperação", afirmou boletim médico divulgado no último dia 11.

 

Folhapress

Imprimir