Cidadeverde.com
Esporte

Cano faz gol histórico, e Vasco vence Botafogo na final da Taça Rio

Imprimir

O Vasco foi até o estádio Nilton Santos enfrentar o Botafogo pelo primeiro jogo da final da Taça Rio e venceu por 1 a 0, gol de Cano, que com isso se tornou o argentino com mais gols na história do clube, ultrapassando Alfredo González.

Foto - Rafael Ribeiro - Vasco

Agora, o foco das duas equipes é na partida do fim de semana que vem, que decidirá o campeão da Taça Rio. O confronto de volta acontecerá no estádio São Januário.

Não há vantagem para nenhum clube nesta fase da competição, diferente do que aconteceu na semifinal, quando tanto o Vasco como o Nova Iguaçu podiam ter dois resultados iguais para avançar.

Essa foi a terceira vez que os dois times se enfrentaram neste ano. A primeira aconteceu ainda pelo Campeonato Brasileiro de 2020, com vitória do Vasco por 3 a 0. Já o segundo embate aconteceu pela primeira fase do torneio estadual, na Taça Guanabara, terminando em um empate por 1 a 1.

SEM PÚBLICO

Os jogos da final da Taça Rio acontecem no Nilton Santos e São Januário, respectivamente, sem a presença de público. Na última terça-feira, a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) publicou um documento indicando essa possibilidade.

Durante os debates no decorrer da semana, porém, o Alvinegro e o Cruz-Maltino se mostraram contrários à medida.

Vale lembrar que, de acordo com a Ferj, caso Botafogo e Vasco quisessem a presença de torcida, teriam de jogar no Maracanã, que, segundo a federação, é o único estádio adaptado e apto para tal iniciativa em meio à pandemia de coronavírus.

QUEM FOI BEM: CANO

Novamente o atacante Cano não desperdiçou a chance que teve e abriu o placar no primeiro minuto do segundo tempo, após falha da defesa botafoguense.

O gol se tornou ainda mais especial pelo fato de agora o jogador ser o argentino com mais gols na história do Vasco, ultrapassando Alfredo González - que atuou entre 1940 e 1941. Ambos estavam empatados com 30 gols.

QUEM FOI MAL: MEIO CAMPO DO BOTAFOGO

A equipe botafoguense teve enorme dificuldade para criar jogadas e fazer a transição da defesa para o ataque, principalmente na primeira etapa. Isso aconteceu porque o meio-campo da equipe se mostrou frágil na partida de hoje, sem velocidade para sair da marcação e errando muitos passes.

ATUAÇÃO DO BOTAFOGO

O Glorioso fez uma partida fraca tecnicamente, com pouca criatividade no setor ofensivo e insegurança na parte de trás, sendo o motivo que fez a equipe tomar o gol de Cano no começo do segundo tempo.

O ataque com Navarro, Marco Antônio e Ronald pouco incomodou o goleiro Vanderlei, que só foi fazer sua primeira defesa aos 21 minutos do segundo tempo.

O ataque com Navarro, Marco Antônio e Ronald pouco incomodou o goleiro Vanderlei, que só foi fazer sua primeira defesa aos 21 minutos do segundo tempo.

ATUAÇÃO DO VASCO

O time comandado pelo técnico Marcelo Cabo fez uma partida segura e conseguiu se impor diante do adversário, principalmente no setor de meio campo. As chances não foram muitas, mas a equipe foi eficiente no ataque e na defesa deu total segurança ao goleiro Vanderlei.

CRONOLOGIA DO JOGO

A partida começou com o Vasco propondo jogo e saindo mais para o ataque, mesmo jogando fora de casa. Logo aos cinco minutos apareceu a primeira chance, com Cano, que bateu no canto do goleiro Douglas Borges, que se esticou todo para fazer a defesa.

No entanto, essa foi a única boa chance de ambos os times até o tempo técnico, aos 20 minutos. O jogo se concentrava muito no meio-campo e o Botafogo apresentava muita dificuldade para se desvencilhar da forte marcação adversária.

A pausa não mudou o ritmo do confronto, com o Vasco se impondo e dificultando a saída de bola da equipe comandada pelo técnico Marcelo Chamusca.

Se no primeiro tempo pouco aconteceu, o segundo já começou com mudança no placar. Com menos de um minuto, o zagueiro David Sousa errou feio na saída de bola, não chutou para fora, e viu Léo Jabá cruzar na cabeça de Cano, que não desperdiçou.

O gol deu mais tranquilidade para o time comandado por Marcelo Cabo, que priorizou marcar ainda mais forte para proteger a meta defendida por Vanderlei, que foi pouco exigido na partida deste domingo.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir