Cidadeverde.com
Cidades

Projeto executivo da Adutora de Curimatá tem elaboração autorizada

Imprimir

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) vai investir R$ 668 mil na elaboração do projeto executivo da Adutora de Curimatá, no Piauí. O empreendimento tem potencial para beneficiar mais de 35 mil pessoas nos municípios piauienses de Curimatá, Júlio Borges e Avelino Lopes. A estimativa é de, quando executada, a obra receba cerca de R$ 35 milhões em investimentos do governo federal.
 
“Mais importante do que água acumulada é água distribuída até a casa das pessoas. Sei que a construção da Barragem de Algodões II foi uma grande conquista como obra de infraestrutura hídrica e, com o futuro funcionamento da Adutora de Curimatá, a água vai chegar em quantidade adequada e de forma permanente em várias localidades”, afirma o diretor-presidente da Codevasf, Marcelo Moreira. 
 
A construção da Adutora de Curimatá tem como objetivo o abastecimento de água de forma sustentável a fim de promover segurança hídrica para populações nas localidades beneficiadas. Com ponto de captação de água na Barragem de Algodões II, a adutora deve ter 26,5 quilômetros de extensão. 
 
“É uma obra de suma importância para a região que tem uma carência hídrica muito grande. Esse projeto tem muitas características peculiares, que levam uma demanda de tempo. O prazo contratual para elaboração do projeto executivo é de um ano. Mas temos convicção que esse produto será entregue antes do prazo”, avalia o superintendente regional da Codevasf no Piauí, Inaldo Guerra.
 
O ato de assinatura da ordem de serviço ocorreu há poucos dias, em Brasília, com a presença do diretor-presidente da Codevasf, Marcelo Moreira, dos diretores da Companhia Antônio Rosendo e Luís Napoleão Casado, do senador Ciro Nogueira, do deputado federal Átila Lira e, por meio de videoconferência, do superintendente regional da Codevasf no Piauí, Inaldo Guerra, e do prefeito de Curimatá, Valdecir Júnior.

Da Redação
[email protected]

Imprimir