Cidadeverde.com
Geral

Motoristas protestam contra aprovação de indicativo que institui o "taxi-lotação" em Teresina

Imprimir
  • 20210602092234_IMG_9056.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • 20210602092417_IMG_9060.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • 20210602092447_IMG_9062.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • 20210602092452_IMG_9064.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • 20210602092533_IMG_9067.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • 20210602092616_IMG_9072.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • 20210602092703_IMG_9073.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • 20210602091704_IMG_9053.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • 20210602093510_IMG_9083.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com
  • 20210602094048_IMG_9085.jpg Roberta Aline/Cidadeverde.com

A Câmara de Teresina aprovou indicativo de lei do vereador Leonardo Eulálio (PL), que institui o táxi lotação. Motoristas e cobradores protestaram contra o projeto em frente à Câmara nesta quarta-feira(02). 

Eles afirmam que a concorrência com os táxis será ainda pior para o sistema de transporte coletivo que já vive um caos na capital.

O motorista Antônio Cardoso afirma que a categoria quer uma solução para a crise do sistema. Segundo ele, o táxi-lotação exclui diversas categorias que são atendidas pelo ônibus coletivo.

"No momento difícil que já temos desemprego em massa, sabemos que esse taxi-lotação não beneficia ninguém. Idosos, estudantes, deficientes não serão beneficiados. Nem as pessoas da periferia. Não faz integração e nem beneficia estudantes. O que pode fazer tudo isso são os ônibus", protesta.

O autor da proposta diz que o objetivo não é substituir os ônibus. Leonardo Eulálio explica que a questão das gratuidades será discutida com a Prefeitura.

"O trâmite será encaminhado para Prefeitura para, junto com as cooperativas, sindicatos e Strans, construírem um modelo que possa chegar melhor para a comunidade. Esse problema do transporte ainda vai se arrastar. Não quer substituir os ônibus. Mas apresentar uma alternativa para a população e manter os empregos dos taxistas", afirmou.

Leonardo Eulálio defende que a proposta já existe em várias capitais.

"É um transporte confortável. Não gera nenhum custo para o ente público. Que só o táxi coletivo não resolve. Precisamos de um transporte público e de qualidade. Isso já existe em várias capitais e vive junto com os ônibus", afirmou.

Ônibus parados

Os motoristas e cobradores da zona Sudeste continuam com as atividades suspensas pelo terceiro dia seguido. O Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários no Estado do Piauí (Sintetro)  informou que os trabalhadores das empresas Emtracol, Transporte Teresina e Transfácil estão sem trabalhar por falta de pagamentos. Os trabalhadores estariam desde janeiro com os salários atrasados. Uma campanha de arrecadação de alimentos foi criada para ajudar os trabalhadores, com ponto de entrega na praça dos Correios, no Dirceu Arcoverde. Essa primeira doação será para os trabalhadores do consórcio Teresina, que atende a zona Sudeste. 

O Cidadeverde.com apurou que está marcada uma reunião para esta quarta-feira para discutir a situação dos trabalhadores. A reunião terá presença dos representantes do Sintetro, Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut), Prefeitura de Teresina, Procuradoria do Município e Tribunal Regional do Trabalho. 


 

Flash de Lídia Brito e Carlienne Carpaso
[email protected]

Imprimir