Cidadeverde.com
Economia

Dívida do IPMT é R$ 152 milhões, revela gestores após reunião

Imprimir

 

O Instituto de Previdência Municipal de Teresina (IPMT) possui uma dívida de R$ 152 milhões, informou, nesta quinta-feira (03), o atual presidente do IPMT, Kennedy Glauber, que esteve em reunião com o prefeito de Teresina, Dr. Pessoa, nesta quinta-feira (03). O vice-prefeito de Teresina e secretário de Finanças, Robert Rios, também participou da reunião, que contou com a presença de outros gestores. 

“Com os primeiros levantamentos, nós percebemos que o IPMT tem uma dívida financeira de R$ 152 milhões, deixada pela gestão anterior. Nós já temos feito as tratativas necessárias juntamente com a SEMF (Secretaria Municipal de Finanças) para que a gente possa vê a melhor forma de recuperar esse recurso”, disse em vídeo, Kennedy Glauber.

Kennedy Glauber ressalta que o déficit atuarial é de R$ 4,5 bilhões. O déficit atuarial corresponde à insuficiência de recursos para cobertura dos compromissos dos planos de benefícios.

"Nós recebemos na semana passada o relatório do atuário. Temos, realmente, uma dificuldade muito grande nesse inicio de gestão. Queremos ressalta que essa gestão do Dr. Pessoa é 100% técnica. Dentro desses cinco meses, nós já conseguimos economizar mais de 57% em despesas de custeio. Estamos economizando naquilo que podemos economizar. Nós temos certeza que nessa gestão do Dr. Pessoa nós iremos fortalecer a instituição do IPMT e trazer o melhor aproveitamento dos recursos do fundo previdenciário”.

O ex-presidente do órgão, Paulo Dantas, emitou nota de esclarecimento sobre as informações divulgadas; Confira na íntegra:

Sobre as alegações da atual gestão do Instituto de Previdência do Servidor Municipal de Teresina (IPMT), o ex-presidente do órgão, Paulo Dantas, esclarece que devido à pandemia de Covid-19, o Governo Federal, por meio da Lei Complementar nº 173/2020, regulamentada pela Portaria nº14.816, autorizou os municípios a suspenderem o repasse das contribuições previdenciárias, que ficam a cargo dos empregadores, para garantir a saúde financeira dessas cidades no momento de calamidade pública. Essa suspensão, em 2020, gerou o déficit de cerca de R$ 152 milhões nos cofres do IPMT. “Agora cabe à Prefeitura de Teresina, na condição de empregadora, parcelar essa dívida e fazer o repasse devido ao IPMT”, completa. 

Já sobre o déficit atuarial, Paulo Dantas explica que se trata do resultado de uma série de condições que atinge não apenas o IPMT, como todos os institutos de previdência dos municípios. 

“O déficit atuarial é acumulado ao longo dos anos e a tendência é que ele aumente cada vez mais caso a legislação não sofra alterações”, pondera. Dantas esclarece que esse déficit depende, por exemplo, da quantidade de servidores que estão na ativa, contribuindo com o Instituto, e a quantidade de servidores aposentados (uma balança entre receitas e despesas). Consequentemente, essa balança também pesa se não há a entrada de novos servidores no quadro efetivo da Prefeitura.

Carlienne Carpaso 
[email protected] 

  • pmt_romulo_1.JPG Rômulo Piauilino / Semcom
  • ipmt_6_romu.JPG Rômulo Piauilino / Semcom
  • ipmt_5_romu.JPG Rômulo Piauilino / Semcom
  • ipmt_4_romu.JPG Rômulo Piauilino / Semcom
  • ipmt_3_romu.JPG Rômulo Piauilino / Semcom
  • ipmt_2_romu.JPG Rômulo Piauilino / Semcom
  • ipmt_1_romu.JPG Rômulo Piauilino / Semcom
Tags: dividaipmt
Imprimir