Cidadeverde.com
Vida Saudável

Anvisa nega aval para uso emergencial de medicamento russo contra Covid

Imprimir

Foto: Câmara dos Deputados

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) negou nesta terça-feira (22) autorização para uso emergencial, em pacientes hospitalizados com Covid, de um medicamento antiviral chamado de Avifavir.

A decisão foi unânime entre os diretores. A avaliação é que o medicamento não atendeu requisitos mínimos de segurança e eficácia para esse uso.

O pedido para uso emergencial havia sido feito pelo Instituto Vital Brazil. O remédio, no entanto, é fabricado pelas empresas russas API Technologies JCC e Joint Stock Company Chemical Diversity Research Institute.

O medicamento é feito a partir do composto favipiravir, usado no Japão desde 2014 contra a gripe e alvo de estudos recentes para a Covid. Até o momento, porém, nenhuma outra agência no mundo deu aval para uso do remédio contra a doença, diz a Anvisa.

Análise de áreas técnicas da agência também apontou que "as limitações, incertezas e riscos da aprovação do uso emergencial do Avifavir superam os benefícios no tratamento de pacientes com Covid-19".

A posição foi seguida pelos diretores. "A agência deve usar de todas as vias possíveis para fazer com que novos tratamentos estejam disponíveis para os pacientes o mais rápido possível. Entretanto, não se pode autorizar o uso de um medicamento que não demonstrou benefício clínico no tratamento da Covid-19 e ainda pode resultar em riscos à saúde dos pacientes", afirmou a diretora Meiruze Freitas.

Nos últimos meses, a Anvisa já deu aval para três tratamentos contra a Covid. Entram na lista o rendesivir e as associações de anticorpos casirivimabe e imdevimabe e o banlanivimabe com etesivimabe.


Fonte:Folhapress

Imprimir