Cidadeverde.com
Entretenimento

Conselho Municipal de Cultura cobra homologação de tombamento do Meduna

Imprimir

Foto: Roberta Aline

O Conselho Municipal de Política Cultural (CMPC) cobra da Prefeitura de Teresina a homologação do tombamento do Complexo do Meduna (antigo Sanatório, Capela e entorno). No último dia 07 de junho o Conselho emitiu parecer com a aprovação do Tombamento do antigo Sanatório Meduna, mas a homologação ainda não foi feita pelo Executivo Municipal.

Segundo o presidente do CMPC de Teresina, consta no Diário Oficial do Município (18/06/2021) que os proprietários do Complexo Meduna foram notificados, pela segunda vez, sendo solicitada a Certidão de inteiro teor do imóvel, que foi enviada por eles para a Prefeitura.

“Em âmbito nacional, desde ontem dia 21/06/2021, o Meduna está provisoriamente tombado, sob o Nº 1954-T-21, estando assim registrado no Arquivo Central do IPHAN no Rio de Janeiro. Pela Lei Municipal, qualquer intervenção sem anuência dos órgãos competentes, como o CMPC de Teresina, é considerada um dano ao patrimônio, com penalidades como: Revogação da Autorização; Cassação de Licença; Reparação e indenização por danos, entre outas”, explica o presidente do CMPC, João Henrique Vieira.

A coordenadora da Câmara Técnica do Patrimônio do CMPC de Teresina, Camila Ferreira, destaca o trabalho em defesa do Patrimônio Material. “A Câmara Técnica serve de apoio para o Conselho Municipal de Política Cultural de Teresina, é uma Câmara permanente dentro do CMPC e sua atuação foi muito importante nesse processo de tombamento do Meduna, e também para a articular e fomentar na população o interesse por essas pautas. É de extrema importância fortalecer o conselho nesse trabalho de preservação de nosso patrimônio. A câmara está em constante trabalho, porque temos outras pautas relevantes, temos uma agenda de trabalho”, informou Camila.

O CMPC informa ainda que são bens tombados em Teresina os seguintes imóveis: Igreja de Nossa Senhora do Amparo (bairro Poti Velho); Edifício da Justiça Federal (Cenajus); Edifício da Antiga Intendência (Fundação Wall Ferraz); Palácio da Cidade (Prefeitura); Fábrica de Fiação (Armazém); Grupo Escolar Abdias Neves (Biblioteca Cromwell de Carvalho); Casarão do Barão de Gurguéia (Casa da Cultura); Casarão dos Libórios (Museu de Arte Sacra); Jockey Clube de Teresina.

“Ressaltamos ainda que qualquer processo de “destombamento” é um grande retrocesso e o descompromisso com a preservação de nossa memória e patrimônio. Nesse sentido ressaltamos a importância da preservação desses bens, e da homologação pela prefeitura do Tombamento do antigo Sanatório Meduna, Capela e entorno, protegendo mais esse patrimônio de nossa cidade”, acrescenta João Henrique Vieira.

Da Redação
[email protected]

Tags: Meduna
Imprimir