Cidadeverde.com
Política

Edson Melo apresenta relatório paralelo feito por ex-gestores da Strans

Imprimir

Roberta Aline

O vereador Edson Melo (PSDB) apresentou o relatório paralelo com sugestões à CPI do Transporte e a Prefeitura de Teresina. O documento foi elaborado por ex-gestores da Strans e engenheiros.

O relatório possui sugestões como: o maior controle da bilhetagem eletrônica pela prefeitura e controle com relação a rota dos ônibus. Além de sugerir que a prefeitura pague os subsídios cobrados pelos empresários.

"A prefeitura deve ter o controle total da receita do sistema por meio do Fundo de Transporte. A Strans tem que ter o controle total da bilhetagem automática. Tem que ter controle de GPS da rota dos ônibus. A prefeitura tem que ter controle. Se chegar o preço do quilômetro rodado, do custo quilômetro, saber quem anda e quem paga e cumprir. O prefeito Firmino congelou a passagem dos estudantes por 5 anos. A prefeitura assumiu a responsabilidade de subsidiar. Qual a capital do país que não paga subsídios? A prefeitura tem que assumir o pagamento dos subsídios. Mas é preciso ter um transporte de qualidade, sem gambiarras. A prefeitura tem que pagar pela quilometragem rodada, independente do número de passageiros. Tem que ter controle. A Strans está preparada para esse tipo de controle", afirma. 

O relatório propõe ainda que seja feita a revisão do contrato de licitação.

"Tem que ser revistos e modernizados os contratos. O Poder Público tem que ter o controle maior. A evolução existe, mas ainda não está adequado", destacou o vereador. 

Edson Melo disse esperar que a prefeitura avalie o relatório. 

"O sistema de transporte evoluiu. Houve mudanças bruscas e que não se concretizaram em função do tempo. Teve essa opção pelo sistema de integração, que não foi concluído. Até para se fazer licitação no transporte coletivo se passa 1 ou 2 anos. É feito um estudo. É complexo. Não é na marra não", afirma.

Edson Melo afirma que o PSDB não faz uma oposição irresponsável. 

"Resolvemos fazer esse documento ouvindo vários engenheiros e ex-superintendentes da Strans. Não podemos ser omissos. Criticamos e apresentamos soluções. Não faço a política do quanto pior melhor. Quem dará a solução final será a prefeitura", destaca.

 

Flash de Lídia Brito
[email protected]

Imprimir