Cidadeverde.com
Últimas

'Nada a esconder, eu sou gay', diz governador Eduardo Leite

Imprimir

Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), assumiu pela primeira vez em público sua orientação sexual, durante entrevista ao programa Entrevista com Bial, da TV Globo. O programa divulgou um vídeo em suas redes sociais com o trecho da entrevista, na qual Leite justifica que é necessário debater identidade no atual momento político do País.

"Eu nunca falei sobre um assunto que eu quero trazer pra ti no programa, que tem a ver com a minha vida privada e que não era um assunto até aqui porque se deveria debater mais o que a gente pode fazer na política, e não exatamente o que a gente é ou deixa de ser", explicou o político na entrevista ao apresentador Pedro Bial.

"Eu sou gay, e sou um governador gay. Não sou um 'gay governador', tanto quanto Obama nos Estados Unidos não foi um 'negro presidente'. Foi um presidente negro. E tenho orgulho disso. Ele afirmou, porém, que atualmente "nesse Brasil com pouca integridade a gente precisa debater o que se é".

Leite foi eleito no Rio Grande do Sul em 2018 com 53,6% dos votos. Ele tem 36 anos, o que o torna o governador mais jovem em exercício hoje no País. Antes, foi prefeito de Pelotas entre 2013 e 2016 e, antes disso, foi secretário municipal, vereador e presidente da Câmara Municipal na mesma cidade.

Ele participou nesta quinta-feira, 1º, de um debate do Estadão e do Centro de Liderança Política (CLP) com os ex-ministros e presidenciáveis Ciro Gomes (PDT) e Luiz Henrique Mandetta (DEM), em São Paulo, para debater os desafios do País na saída da pandemia do coronavírus e na retomada econômica.

Leite é um dos cotados pelo PSDB para disputar a Presidência da República nas eleições de 2022. O partido deverá realizar prévias no mesmo de novembro.

A disputa interna contará ainda com o governador de São Paulo, João Doria, com o senador Tasso Jeireissati, e com o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio.

O governador gaúcho admite que pode retirar seu nome se houver algum candidato capaz de unificar a chamada terceira via e mostrar competitividade. Nos bastidores, tucanos apostam que ele e Tasso poderão se unir.

Foto: Divulgação Palácio Piratini

Após as divulgação das declações de Leite, Doria afirmou em uma rede social: "Admiração e respeito ao meu amigo @EduardoLeite_".

A conta oficial do PSDB no Twitter também elogiou o governador gaúcho. "Parabéns pela coragem, @EduardoLeite_."

O senador Fabiano Contarato (Rede-ES) escreveu: "Parabenizo o gov. @EduardoLeite_ pela bravura! Sei a dor que é a prisão do armário, sobretudo num ambiente conservador como a Política, e cada um deve descobrir seu momento certo para esse gesto. Seja feliz e siga seu ótimo trabalho: a vida será mais leve!".

A ex-candidata à Presidência pelo PSOL Luciana Genro, também gaúcha, afirmou: "Quero parabenizar o governador @EduardoLeite_ pela atitude corajosa de falar sobre sua orientação sexual. Atitude necessária para ajudar LGBTs que lutam pelo fim da discriminação".

Já o presidente do Cidadania, o ex-deputado Roberto Freire, disse: "Um importante e corajoso gesto do Eduardo Leite, que recebemos, os democratas, como um alento e um sinal de compromisso com a verdade e com os valores do humanismo que nos unem, da esquerda à direita liberal. Grande quadro político que se credencia no polo democrático pra 2022".

 

Folhapress

Imprimir