Cidadeverde.com
Cidades

Castelo do Piauí tem Vara Única com acervo processual 100% digital

Imprimir

A Vara Única de Castelo do Piauí é a primeira unidade do interior a contar com acervo processual 100% digital. Ao todo foram digitalizados e distribuídos no sistema Processo Judicial Eletrônico (PJe) 391 processos físicos criminais que tramitavam na unidade. A Corregedoria Geral da Justiça (CGJ) já havia realizado, anteriormente, procedimento semelhante em relação aos processos físicos cíveis da unidade.

Ao abrir o ato solene de entrega do Selo, o corregedor-geral da Justiça do Estado do Piauí, desembargador Fernando Lopes, lembrou que ter um Judiciário 100% digital é uma das principais metas da atual gestão do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí (TJ-PI) e da CGJ. “Temos uma grande equipe empenhada nesse projeto, que é fundamental para que o nosso Tribunal avance em celeridade, em produtividade, oferecendo uma melhor prestação jurisdicional”, disse o desembargador-corregedor.

Para a realização da migração do acervo físico para o meio virtual, a equipe da CGJ divide-se em grupos de trabalho, que realizam atividades como triagem, higienização e digitalização dos processos, validação, distribuição. Com a migração para o sistema PJe, realiza-se a devida intimação das partes, e encaminhamento para a tarefa correspondente.

A secretária–geral da CGJ-PI, Mônica Lopes, elogiou o trabalho ágil da Central de Apoio às Secretarias de Varas (Ceas) e dos servidores da unidade que atuaram na migração, sob supervisão da coordenadora da Distribuição de 1o Grau da Comarca de Teresina, Vanessa Martins Cardoso. “Nossa meta era finalizar esse trabalho em duas semanas e realizamos em 10 dias, graças a um esforço conjunto de nossa equipe e da equipe da unidade, que agora passará a atuar em apenas um sistema”, comentou.

O magistrado titular da unidade, Raniere Sucupira, declarou que a tramitação única no PJe dará ainda mais agilidade à tramitação dos feitos na Vara. “Estamos felizes por receber este Selo, que é um reconhecimento do trabalho realizado, inclusive a escolha de nossa unidade para ser a primeira vara do interior 100% digital. Avançaremos na forma de trabalhar, com menos burocracia, de modo mais célere. A gestão processual também terá um salto, com uma melhor gestão da produtividade, das metas. Já tive a oportunidade de analisar alguns processos criminais no PJe e há, realmente, uma melhora significativa de acesso, de manuseio dos autos”, detalhou o magistrado.

Em nome do presidente do TJ-PI, desembargador José Ribamar Oliveira, o juiz auxiliar da Presidência Manoel Dourado, parabenizou a Corregedoria pelo projeto de digitalização do acervo processual de primeiro grau, e a Vara Única de Castelo do Piauí pelo ineditismo de ser a primeira unidade do interior com tramitação processual exclusiva no PJe. “Você percebe que um projeto é bom quando ele tem tamanha receptividade por parte dos magistrados e dos servidores”, argumentou.

Da Redação
[email protected]

Imprimir