Cidadeverde.com
Esporte

Conjunto brasileiro da ginástica rítmica é convocado para as Olimpíadas

Imprimir

A treinadora do conjunto brasileiro de ginástica rítmica, Camila Ferezin, divulgou nesta quinta-feira (8) a lista das cinco atletas que representarão o país na modalidade durante as Olimpíadas de Tóquio.

As ginastas chamadas são: Beatriz Linhares, Deborah Medrado, Geovanna Santos, Maria Eduarda Arakaki e Nicole Pírcio. O Brasil conquistou a vaga olímpica ao vencer o Campeonato Pan-Americano do Rio, em 12 de junho, depois de uma preparação com muitas dificuldades.

De acordo com a treinadora, "vários critérios" foram analisados para a escolha das atletas que vão competir no Japão e "muitas meninas" tinham condição de fazer parte do grupo.

"Levamos em conta quem fazia melhor as duas séries, já que não será mais suficiente ter bom desempenho em uma coreografia apenas. Fizemos vários testes, mudamos posições, ajustamos e essa composição foi a que melhor se adaptou ao que precisávamos", disse Camila.

Antes do início da disputa dos Jogos Olímpicos, o conjunto de ginástica rítmica espera disputar o Grand Prix de Israel, nos dias 16 e 17 deste mês. Apesar de a equipe brasileira ter sido convidada para o torneio, a participação do conjunto ainda é incerta.

Isso porque, devido à pandemia da Covid-19, a entrada de brasileiros em Israel não está sendo permitida. "Estamos em contato com a embaixada para conseguir a autorização. Caso ela seja dada, com certeza iremos", contou Camila.

Durante o Grand Prix, caso a participação brasileira seja confirmada, as ginastas reservas Barbara Galvão e Gabrielle Moraes acompanharão o time. Elas estão com o conjunto durante a preparação para caso alguma lesão ocorra.

A fase classificatória da ginástica rítmica nas Olimpíadas de Tóquio será disputada em 6 de agosto. O Brasil busca se classificar para a final pela terceira vez na história.

Em Sydney, em 2000, e em Atenas, em 2004, o conjunto brasileiro alcançou o oitavo lugar, melhor resultado do país na modalidade nos Jogos Olímpicos.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir