Cidadeverde.com
Esporte

Sem gols e em crise, Grêmio e Internacional empatam em clássico morno

Imprimir

De um lado, o lanterna ainda sem vitórias no Campeonato Brasileiro em estreia de novo técnico, Luiz Felipe Scolari. Do outro, seu maior rival, no meio da tabela do torneio, sem vencer há quatro jogos no Brasileirão e 7 anos sem triunfar em um Gre-Nal na Arena do Grêmio. 

Foto - Ricardo Duarte - Internacional

Com esses ingredientes para um jogo que poderia ser definidor nas fases que os times se encontram, o clássico gaúcho, válido pela 11ª rodada do Campeonato Brasileiro, foi marcado por duas equipes que ainda não se encontraram no Brasileirão e terminou sem gols, na Arena do Grêmio.

Com o resultado, o Grêmio segue em último lugar, na zona de rebaixamento, com 4 pontos. O Internacional, que poderia ter entrado na degola com a derrota, tem 012 pontos.

O clássico gaúcho teve um primeiro tempo com chances mais claras do lado do Inter, que chegou com mais perigo no ataque.

O Grêmio, lanterna da competição, fez jus a posição na tabela e se intimidou durante os primeiros 45 minutos, mesmo com o mando em sua Arena, com destaque para atuação brilhante do goleiro Chapecó.

Aos três minutos, Yuri Alberto teve a primeira chance do jogo em seus pés, mas Chapecó estava bem ligado no lance e fez uma linda defesa no chute cruzado do atacante adversário.

Na metade do primeiro tempo, Yuri apareceu novamente, em tabela com Taison, para oferecer novamente perigo à defesa do Grêmio. A partida, claramente, tinha domínio dos visitantes.

Em nova chance, o Inter chegou muito bem para a tentativa de abrir o placar aos 34 minutos, com Taison, que, até então, estava um pouco apagado. Em um chute, o artilheiro quase fez, mas a bola parou novamente no goleiro Chapecó, o grande destaque do Grêmio no primeiro tempo.

No minuto seguinte, Alisson tentou trazer perigo para o adversário ao cobrar escanteio para Kannemann cabecear. No entanto, o goleiro Daniel ficou tranquilo ao ver a bola sendo mandada para longe. 

A prova para Daniel foi no lance seguinte, com o avanço de Ferreira pela área que chutou para o gol, contando com desvio de Patrick.O goleiro defendeu sem dificuldades, como na maioria do primeiro tempo.

O Grêmio tentou criar oportunidades, com uso de muitas bolas longas e sem muito brilho no setor ofensivo. Apesar do desempenho melhor que o rival, o Internacional parou na atuação brilhante de Chapecó e também não conseguiu abrir o placar.

No segundo tempo, o ritmo do jogo não se modificou, sem que as alterações fossem capazes de transformar a atuação das equipes.

A melhor chance para o Grêmio veio aos 10 minutos, quando Rafinha mandou para Diego Souza. O atacante tentou a sorte, ao buscar encobrir Daniel mas mandou para fora e desperdiçou a oportunidade.

Apesar do esforço de Douglas Costas, substituído na segunda etapa por Jean Pyerre, o Grêmio não conseguia criar chances.

Após pegar rebote, Fernando Henrique tenta chegar e arrisca o chute de perto da área, sem dar trabalho ao goleiro Daniel, fazendo com o que o Grêmio mantenha o posto de pior ataque do Campeonato Brasileiro, com 4 gols em 8 jogos.

Aos 41 minutos, após receber toque de Patrick, Yuri bateu para o gol mas Chapecó pegou mais uma, impedindo o rival de abrir o placar.

Poucos minutos depois, após passe de Yuri para Johnny acabar na zaga, Patrick pegou o rebote e tentou balançar as redes, mas o goleiro tricolor não permitiu, em outra defesa espetacular.

Fonte: Estadão Conteúdo

Imprimir