Cidadeverde.com
Esporte

Brasileira perde medalha no taekwondo para marfinense que foi bronze no Rio

Imprimir

A brasileira Milena Titoneli perdeu a chance de conquistar uma medalha de bronze nas Olimpíadas de Tóquio ao ser derrotada nesta segunda-feira (26), no Makuhari Messe Hall, pela marfinense Ruth Gbagbi na categoria até 67kg do taekwondo.

Foto - Gaspar Nóbrega/COB

Gbagbi, de 27 anos, já havia sido medalhista de bronze nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016, além de ter conquistado o Mundial da categoria, em 2017.

A luta foi iniciada com muito equilíbrio, tendo o primeiro round terminado em 1 a 1. No segundo round o duelo seguiu disputado, com a marfinense levando uma ligeira vantagem de 6 a 4.

No último e derradeiro round, Titoneli sentiu o cansaço e foi recebendo golpes. Um chute na cabeça fez Gbagbi se distanciar no placar e terminar a luta com uma vitória por 12 a 8.

REVIRAVOLTA

Titoneli ganhou uma segunda chance para brigar pela medalha de bronze mesmo após ter sido derrotada nas quartas de final pela croata Matea Jelic. O regulamento da competição prevê uma repescagem para as eliminadas pela croata caso ela chegasse à final - o que aconteceu.

Na luta das quartas de final, com menos de 10 segundos, Jelic já abriu 3 pontos no placar, um deles por punição à Milena. Na reta final do round, quando a croata somava 7 a 1 no placar, Milena conseguiu encaixar um chute e dois socos, fazendo com que fosse para a pausa com apenas um ponto de diferença.

O roteiro se repetiu no segundo round. A croata abriu 11 pontos de vantagem quando o técnico da Milena interrompeu o combate para pedir análise de um golpe. Sem a revisão, Jelic fechou o round vencendo por 20 a 9. 

Por conta da desvantagem, Milena precisou se expor e atacar mais no último round. Mas a croata se defendeu bem e, com dois chutes no capacete, fechou o placar no duelo com um 28 a 9 sobre a brasileira.

Na repescagem, Milena foi focada e encaixou dois golpes seguidos. Somados a uma punição e mais um golpe no peito, Titoneli vencia por 3 a 0 com 30 segundos de luta. 

Logo, ela encaixou um chute na cabeça e abriu 7 a 0, pouco antes da haitiana Lauren Lee marcar seus primeiros dois pontos. A brasileira, então, manteve a vantagem nas etapas seguintes e chegou à disputa do bronze.

CICLO OLÍMPICO

Estreante olímpica, a paulista de 22 anos construiu uma caminhada de vitórias até chegar em Tóquio. Em 2019, ela conquistou a medalha de bronze no Mundial em Manchester (Inglaterra) e o ouro nos Jogos Pan-americanos de Lima, quando venceu a norte-americana Paige McPherson na final. 

Por isso, foi eleita a atleta do ano pela Confederação Brasileira de Taekwondo naquele ano.

Neste ano, Milena venceu o Pan-americano da modalidade disputado no México e também conquistou a medalha de ouro no Open de Taekwondo - também disputado no México. Ela chegou aos Jogos Olímpicos como a 8ª colocada no ranking mundial.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir