Cidadeverde.com
Geral

Mancha em camisa de Nilson Feitosa pode ser sangue de Tallyne Telles

Imprimir
No momento da prisão de Nilson Feitosa, acusado de matar a estudante Tallyne Teles, ele carregava uma mochila com alguns pertences. Dentre eles, um vestido, que pode ser de alguma das vítimas ou pode ser algum disfarce do assassino, e uma camisa branca, com uma grande mancha que os policiais da Comissão Investigadora do Crime Organizado acreditam ser sangue.

De acordo com o delegado Willame Costa, que preside o inquérito, a mancha na camisa parece ser sangue que, com o passar dos dias, ficou esbranquiçada. “A mancha parece ser sangue. Nós vamos encaminhar a camisa amanhã para a perícia para saber se é sangue e se esse sangue é de Tallyne”, explica o delegado.

Os policiais da Cico que foram até Fortaleza efetuar a prisão de Nilsinho encontraram ainda na casa que ele havia alugado na cidade de São Luis do Curú um computador, DVDs e nove chips de telefone celular lacrados. Todo esse material também passará por perícia. A polícia acredita também que este computador e os DVDs não sejam de Nilson, mas sim produto de algum assalto que ele tenha feito.

A casa havia sido alugada por Nilson há cerca de 15 antes de sua prisão por um valor de R$ 100. O local estava todo mobiliado, inclusive com berço de seu filho com a esposa Antonia Clarisse. Lá foram encontradas também várias roupas de Clarisse e do bebê.

Ainda não há informações de quando Nilson terá alta para poder ser trazido para Teresina. Ele ainda se recupera da cirurgia para a retirada dos projéteis com que os policiais o alvejaram no momento de sua prisão.

Willame Costa avisa que entrará em contado com o médico nesta segunda (30) para saber que dia poderá fazer a remoção do preso via terrestre.

Leilane Nunes
[email protected]

Tags:
Imprimir