Cidadeverde.com
Esporte

Estrela de Luxa brilha, e Cruzeiro vira sobre o Brusque nos minutos finais

Imprimir

A estrela de Vanderlei Luxemburgo brilhou e o Cruzeiro conseguiu evitar a marca de 10 jogos sem vitória na Série B. O treinador colocou Claudinho em campo e o jogador, no seu primeiro toque, cruzou na cabeça de Felipe Augusto que empatou a partida aos 41 minutos. 

Dois minutos depois, Giovanni, que também entrou no segundo tempo, garantiu a vitória por 2 a 1 sobre o Brusque neste sábado (8), em Santa Catarina, pela 16ª rodada.

A vitória deixa o Palestra com 17 pontos ganhos e na 15ª colocação na tabela. Já o Brusque fica na sétima colocação, com 24 pontos.

As duas equipes voltam a campo no meio desta semana pela 17ª rodada do torneio. Na quarta (11), às 19h, a Raposa recebe o Vitória no Mineirão. Um dia depois, na quinta (12), às 19h, o Brusque visita o CRB no estádio Rei Pelé, em Maceió.

PARTIDA

De volta ao comando do Cruzeiro, Luxemburgo tem pontos positivos na sua estreia. Fez quatro mudanças nas escalação para criar um fato novo no ambiente e buscar motivar os jogadores.

Durante a partida, suas substituições foram certeiras. Em campo, se viu um time ligado a todo momento. Fora dele, o treinador acompanhava o ritmo e participava bastante.

Por outro lado, os atletas não conseguem impor o ritmo dentro de campo nem criar tantas oportunidades. O treinador tem pela frente o desafio de ajudar o clube a buscar uma posição melhor na competição.

Depois de um início com muito estudo e poucas chances, foi o time da casa que teve as duas primeiras oportunidades de abrir o placar. Aos 21, Bruno Alves arriscou uma bomba de fora da área e tirou tinta do travessão. Logo em seguida, o artilheiro Edu levou vantagem sobre a zaga e cabeceou à esquerda da meta.

Contudo, o jogo virou a favor da Raposa depois disso. A equipe ficou com a bola no campo de ataque rondando o gol de Zé Carlos. Wellington Nem, aos 26, bateu no canto esquerdo para a defesa do arqueiro. Rômulo, aos 27, e Bruno José, aos 37, também levaram perigo.

Logo depois de sofrer o gol, Luxa colocou o time para frente. O treinador sacou Rafael Sóbis e Flávio para as entradas de Marcinho e Giovanni. Aos 26, o comandante trocou duas peças de ataque: Nem e Marcelo Moreno saíram para Felipe Augusto e Thiago, respectivamente.

As mudanças surtiram efeito rapidamente. Marcinho bateu a bola no ângulo direito, aos 19, e tentou logo depois, no meio de gol, fazendo Zé Carlos trabalhar. Sete minutos depois, Bruno José tentou de cabeça e Zé Carlos lá estava novamente.

Fonte: UOL/FOLHAPRESS

Imprimir